Premier League

[Vídeo] Para apreciar: Todos os lances de Kevin de Bruyne nos 7 a 2 sobre o Stoke City

O hóquei sobre o gelo não costuma contabilizar apenas o último passe como assistência. Ele também considera o penúltimo passe, muitas vezes responsável por clarear a jogada e abrir o caminho para o gol. Nosso companheiro Ubiratan Leal costuma dizer que, se o futebol levasse em conta estes números do hóquei, Zinedine Zidane seria o líder de assistências na maioria dos campeonatos que participou, tamanha capacidade para limpar o caminho e servir na preparação do lance. E, neste final de semana, Kevin de Bruyne também sentiu falta destas estatísticas. Elas ajudariam a mensurar melhor sua atuação monstruosa na goleada por 7 a 2 sobre o Stoke City.

VEJA TAMBÉM: De Bruyne dá show em uma exibição espantosa do Manchester City: 7 a 2 no Stoke

Além de duas assistências “normais”, o belga também serviu duas “pré-assistências” durante o massacre no Estádio Etihad. Fez uma partida impecável na condução do time, representando bem o papel do chamado box-to-box, indo da entrada de sua área para ajudar na saída de bola e seguindo até a entrada da área adversária, onde primou pela criação. É impressionante a influência que ele exerce neste início arrasador do Manchester City na temporada. Neste sábado, foram 57 passes ao longo dos 66 minutos em campo. Quatro deles, resultando em jogadas de gol dos Citizens, o que rendeu elogios rasgados de Pep Guardiola depois do jogo.

“O melhor é apenas um. Se vocês querem que o Kevin seja considerado um dos melhores, ele precisa conquistar títulos. Estamos aqui para ajudá-lo nisso. Mas ele é um dos melhores”, declarou o treinador, em coletiva de imprensa nesta segunda, se desvencilhando de comparações com Lionel Messi. “Eu não quero botar pressão sobre Kevin. Ele é um jogador fantástico, um ótimo rapaz, todos os seus companheiros o amam. Ele quer jogar cada partida e lutar até o fim. Quero ajudar Kevin para atingir o maior nível possível”.

Abaixo, a compilação com todos os lances de De Bruyne contra o Stoke City. Há alguns erros e passes para trás, como em qualquer partida. Mas vale notar também o papel decisivo do meio-campista na criação de vários lances, bem como a sua onipresença em campo. Não fosse assim, não seria reconhecido pela torcida, aplaudido em pé ao ser substituído aos 21 do segundo tempo. Confira:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo