Premier League

Vardy diz que previu queda do Arsenal ao recusar proposta e que jogaria no exterior no futuro

Jamie Vardy foi um dos personagens mais importantes de uma história que é um verdadeiro conto de fadas. Ele foi o artilheiro do Leicester campeão inglês em 2015/16, em uma história espetacular. Depois do título, ele teve a oportunidade de deixar o clube ao receber uma proposta do Arsenal. Estava tudo certo, mas ele recusou. Escolher ficar, jogou a Champions League, mas não descarta sair no futuro se outra proposta chegar. Especialmente se for do exterior.

LEIA TAMBÉM: Fechar a janela de transferências antes das outras ligas coloca a Premier League em risco

O Leicester perdeu dois dos seus titulares campeões com N’Golo Kanté, que foi para o Chelsea logo depois do título dos Foxes, e na janela fechada neste dia 31 de agosto, perdeu o outro jogador do meio-campo, Danny Drinkwater, que também foi para o Chelsea. Depois de recusar o Arsenal, Vardy renovou contrato até 2020 com o Leicester e avisou: quer mais títulos.

“Eu quero vencer tanto quanto for possível”, afirmou o jogador. “Eu não quero ter apenas uma medalha da Premier League no meu armário em casa. Seria um armário vazio”, disse o jogador. “Tenho contrato com o Leicester e nós veremos o quão alto conseguiremos ir. No futuro, quem sabe?”, disse.

“Só porque eu recusei o Arsenal, que foi minha escolha, mas se outra proposta chegar, eu iria avaliar e pensar nos prós e contras”, analisou o jogador. “Mas não, recusar o Arsenal não significa que eu não olharia outra proposta”. Quando foi perguntado se ele tinha se arrependido de não ir para o Arsenal, que venceu a Copa da Inglaterra, Vardy foi bastante duro. “Não foi o título da Premier League, foi? Então estamos todos bem com isso, eu acho. Eu nunca irei me arrepender do que eu escolhi fazer. Eu sou um pouco vidente e podia ver a pequena queda que eles estão agora”, analisou o camisa 9 do Leicester e jogador da seleção inglesa.

“Eles se classificaram para a Champions League nos últimos 20 anos, até a temporada passada. Isso é algo para se pensar. Mas houve as mais diversas razões. Futebol foi a principal, mas se mudar com a família bem quando eu comprei uma casa teria sido uma risada – não”, brincou o jogador.

Quando perguntado se gostaria de jogar fora do país, Vardy, de 30 anos, falou com muito carinho. “Isso é algo que eu provavelmente gostaria de ter a experiência. Uma cultura diferente. Eu falei com o meu empresário [Jordan Morris] no passado. Nós teremos que esperar e ver o que acontece”, explicou o jogador.

Vardy tem uma história fantástica como operário de fábrica que chegou à liga de mais prestígio no mundo. Na temporada 2015/16, quando o Leicester foi campeão inglês, foram 24 gols marcados em 36 jogos. A temporada seguinte não foi tão boa, com 16 gols em 48 jogos, mas alguns bons momentos, como o time indo às quartas de final da Champions League. Em 2017/18, ele já começou bem: marcou dois gols na estreia do time, derrota por 4 a 3 para o Arsenal. Foram os dois únicos gols até agora, em três jogos. Certamente o técnico Craig Shakespeare espera que Vardy contribua nesta temporada com mais gols e boas atuações como naquela temporada mágica de 2015/16.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo