Premier League

Com trocas de Pochettino, Chelsea vira de forma espetacular e se aproxima da Europa

Chelsea busca virada em dois minutos para cima do Nottingham Forest, que, mesmo assim, praticamente garantiu permanência na PL

O Nottingham Forest entrou na 37ª rodada da Premier League para se salvar do rebaixamento, mas o Chelsea não quis saber disso neste sábado (11). No City Ground, apesar de ver o adversário ser melhor, os Blues buscaram uma improvável virada a partir de trocas de Mauricio Pochettino. Saindo do banco, Raheem Sterling empatou em bonita chapada, enquanto Reece James, no primeiro jogo desde dezembro, deu a assistência para virada, consumada em cabeçada de Nicolas Jackson. Um emocionante 3 a 2.

Pelo menos o empate seria mais justo para os donos da casa. Eles criaram muito, mandaram bolas na trave e também buscaram sua virada.

A partida começou com o Chelsea, apesar de pior, abrindo o placar. Com sete do primeiro tempo, Cole Palmer se movimentou nas costas da defesa, recebeu de Thiago Silva e acionou Mykhaylo Mudryk atacando às costas de Montiel. O ucraniano dominou de esquerda, chapou de direita e marcou belo gol. O justo empate logo depois veio em falta perfeita cobrada por Morgan Gibbs-White, finalizada de cabeça por Willy Boly na segunda trave.

Na etapa final, a virada do Forest veio em rápido contra-ataque. Gibbs White carregou por dentro e acionou Callum Hudson-Odoi, que cortou para direita e chapou lindo. Parecia que os Blues não teriam força, mas consumara outra virada.

Os três pontos ao Chelsea deixam o clube com 57 em sétimo, mesmo número do sexto Newcastle, posição onde pode dar vaga para Liga Europa, caso o Manchester City vença a Copa da Inglaterra – se não, será para Conference League.

Mesmo com a derrota, o Notingham está praticamente garantido na Premier League para próxima temporada pelo revés do Luton Town, que apesar de ter três pontos a menos, tem saldo negativo de 31 contra 19 do Forest. Vale citar que Burnley e Sheffield United já estão rebaixados.

Cole Palmer bate recorde pelo Chelsea

O jovem inglês de 21 anos chegou a 10 assistências, além de já ter 21 gols pela Premier League. Com isso, ele se tornou o terceiro jogador da história do clube a alcançar esses números de participação, segundo o OptaJoe. Os dois primeiros? Apenas Didier Drogba (29G e 10A) e Frank Lampard (22G e 14A), ambos na temporada 2009/10.

Efetivo, Forest merecia melhor sorte no 1º tempo

Uma imagem que representaria a etapa inicial seria o Chelsea com a posse de bola no trio da saída, próximo ao meio-campo, encontrando um batalhão de jogadores de vermelho pela frente e com muita dificuldade para infiltrar. O gol só sai porque Palmer, para variar, cria o próprio espaço e Mudryk também tem muitos méritos. Mas, além disso, os Blues só tiveram mais uma chance, novamente com o jovem inglês começando a jogada. Por dentro, ele acionou Nicolas Jackson na cara do gol. Ainda com dificuldade de converter as oportunidades que recebe, o atacante finalizou rasteiro e o goleirão Matz Sels fez ótima defesa.

O empate do Forest aos 15 foi bem justo. O time, apesar de passar apenas 29% do tempo com a bola, era muito vertical e levou perigo em várias escapadas. Antes mesmo do gol de Boly, logo no primeiro minuto de jogo, Chris Wood ficou na cara do gol e tentou uma cobertura, defendida por Deorde Petrovic. O centroavante neozelandês teve outra boa chance com 22, quando o goleiro do Chelsea saiu mal do gol e a bola sobrou livre na segunda trave, mas ele testou por cima da meta visitante. Também aconteceram outros contra-ataques perigosos, só que sem terminar em finalizações.

2º tempo é caótico e agitado

Antes mesmo dos três gols, a etapa final já era muito boa. Hudson-Odoi já tinha ensaiado o gol que marcou antes, ao dar uma chapada quase idêntica, agora buscando o ângulo, no travessão aos 25. Antes, o Forest já tinha carimbado a trave duas vezes, uma de longe com Ryan Yates e outra de cabeça com Gibbs-White. Na segunda, Wood perdeu outro gol inacreditável.

O Chelsea também acertou o poste em cruzamento de Palmer com leve desvio de Thiago Silva. O número de chances até os gols contam como os donos da casa mereciam melhor sorte.

Após a virada louca, iniciada em boa finalização de Sterling, tudo ficou mais caótico. O gol de Jackson veio com muitos espaços. Quase veio o quarto, mas Malo Gusto parou no goleiro adversário.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo