Premier League

Sem Hazard, os coadjuvantes fizeram o Chelsea jogar por música e golear mais uma vez

O Chelsea se consolida como um dos times mais agradáveis de se assistir nesta Premier League. Se os bons resultados com Antonio Conte não ofereciam necessariamente um futebol exuberante, Maurizio Sarri consegue fazer diferente, e emendando vitórias. Neste domingo, os Blues visitaram Turf Moor e comemoraram mais uma vez. Os londrinos golearam o Burnley por 4 a 0, mesmo com o desfalque de Eden Hazard. Exibem um estilo consistente e que certamente empolga os torcedores, pela grande produção ofensiva. Ross Barkley, se redescobrindo após ser escanteado por Conte, foi o melhor em campo e balançou as redes pela terceira rodada consecutiva, além de servir duas assistências.

O começo do jogo, por incrível que pareça, foi aberto. O Burnley jogou de maneira intensa e também criou as suas chances, ameaçando o Chelsea. Contudo, os Blues construíam oportunidades bem mais claras, como em milagre de Joe Hart contra Álvaro Morata ou na bola que Willian carimbou na trave. Aos 22 minutos, porém, os londrinos abriram o placar e passariam a controlar o duelo. Ross Barkley lançou e Morata tocou na saída de Hart. O espanhol, aliás, parece outro jogador após recobrar a confiança nas últimas rodadas. Mais mérito de Sarri.

O restante do primeiro tempo viu um Chelsea mais dominante que incisivo. Já na segunda etapa, o bombardeio se intensificou e os gols saíram em profusão. Por mais que Hart se desdobrasse sob as traves, com algumas boas defesas, ficava difícil segurar sozinho o ataque dos Blues. Ross Barkley anotou o segundo, aos 12, em tiro cruzado após contra-ataque puxado por N’Golo Kanté. Willian ampliou cinco minutos depois, em bola jogada individual, ao encarar a marcação e desferir o chute preciso.  Já nos acréscimos, depois de um passe de calcanhar mascado de Morata, Ruben Loftus-Cheek apareceu para fechar a conta aos visitantes.

O Chelsea assume provisoriamente a segunda colocação da Premier League. Apesar do excesso de empates nas últimas rodadas, sobretudo nos confrontos diretos com outros grandes, a equipe soma 24 pontos – dois a menos que o líder Liverpool. É o efeito do bom futebol associado à eficiência. Já o Burnley, depois de alguma recuperação, permanece em situação de risco. É o 15°, com oito pontos, três acima da zona de rebaixamento.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo