Premier League

Três motivos mostram que Rice é fundamental para o novo plano do Arsenal

Equipe fechou a contratação do volante por R$ 600 milhões em busca do topo da Premier League

Sem plano B para a função, o Arsenal apostou todas as fichas na contratação de Declan Rice. O volante é peça fundamental para o projeto do técnico Mikel Arteta na próxima temporada, que é levar os Gunners a um novo patamar na Premier League. E conseguiu neste sábado (15).

Embora tenha sido necessária muita paciência nas últimas semanas de negociação, o Arsenal conseguiu superar a oferta feita pelo Manchester City ao West Ham, de 90 milhões de libras, com a maior proposta da história:  £ 105 milhões (R$ 600 milhões). O contrato de Rice vale por cinco anos, com opção de prorrogação por mais um.

Essa foi a terceira oferta do Arsenal só nesta janela de transferência. Todas superaram a então negociação recorde da Inglaterra, de £ 72 milhões para Nicolas Pepe, em agosto de 2019. Se vinham com força para brigar com os concorrentes, os Gunners agora provaram que tem “bala na agulha” para alcançar um novo nível na liga. 

  • Arteta tem estratégia montada em torno de Rice

Na visão do técnico do Arsenal, Rice dá continuidade a um projeto de renovação da equipe, não só pela idade, mas pela regularidade. O jogador, de 24 anos, foi titular da seleção inglesa nas duas últimas grandes competições e iniciou 93% dos jogos da Premier League pelo West Ham – disputou 190 de 204 partidas. 

Além disso, Arteta pode usar Rice como uma engrenagem central para o Arsenal. Ele tem atributos que podem ser usados em mais de uma posição, mas sempre como referência. Isso é muito apreciado pelo comandante espanhol. 

Sendo assim, Rice pode aparecer como coringa nas mãos do treinador. Por esses e outros motivos, Rice é uma das poucas opções com atributos e qualidade para rivalizar com os melhores da função.

  • Jogador completo no meio-campo

Declan Rice é o que se pode chamar de meio-campista completo. No West Ham, o jogador tem a capacidade de acelerar o contra-ataque, pela saída de bola de qualidade, além dos passes longos e em profundidade. Ou seja, ele pode jogar como segundo volante mais avançado ou centralizado.

As qualidades defensivas de Rice, principalmente em sua antecipação nos desarmes, também são pontos de destaque. Inclusive, os números da última temporada surpreendem. A taxa de desarmes foi a mais alta da Premier League: 69,9% de 113 desarmes, entre os zagueiros e meio-campistas defensivos.

Para efeitos de comparação, Onana, do Everton, e Tyler Adams, do Leeds United, foram os que mais se aproximaram do volante. Onana teve uma taxa de 67% de desarmes, enquanto Adams teve 64,5%. A superioridade de Rice é absoluta. 

  • Arsenal vai ter ‘esquadrão’ ao lado de volante

Os esforços de Arteta e Edu Gaspar para as contratações de peso representam um salto gigantesco para o elenco do Arsenal, e por isso insistiram tanto no acordo com Rice. Nesta janela, o elenco ganhou outros dois nomes de peso: Jurrien Timber e Kai Havertz.

No ataque, Rice terá Havertz como referência para seus passes em profundidade. Por ser um verdadeiro camisa 10, a movimentação avançada não deve ser um problema para o volante quando buscar jogo. Por outro lado, Timber é um dos zagueiros de mais qualidade da Europa e, pela velocidade, joga na lateral-direita. Um homem de confiança para “duetar” na saída de bola. 

Esse é um estágio para o Arsenal, em que as opções no elenco são variadas e permitem mais liberdade para Arteta armar seus comandados

Neste contexto, Rice é peça-chave. Uma responsabilidade que pouquíssimos atletas poderiam ter na Premier League.

Foto de Livia Camillo

Livia Camillo

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo