Premier League

Resposta aos anseios no ataque do United, Cavani é recompensado com renovação por mais um ano

Decisivo nas últimas semanas, uruguaio pôs fim à pequena novela e assinou extensão do vínculo até junho de 2022

A contratação de Edinson Cavani pelo Manchester United no início da temporada foi cercada de dúvidas sobre o quanto o uruguaio ainda poderia contribuir depois de uma campanha ofuscada e de pouco tempo de jogo em seu último ano no PSG. O centroavante respondeu aos questionamentos com um grande futebol, a prova de um faro de gol ainda afinado e, por isso, recebe agora a recompensa: renovação de contrato por mais um ano.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (10). Cavani estendeu seu vínculo até junho de 2022. Em entrevista ao site do United, o uruguaio afirmou ter desenvolvido um grande afeto pelo clube ao longo da temporada, destacando a ligação com seus companheiros, a comissão técnica e, é claro, os torcedores, mesmo à distância.

“Fiquei tocado com o quanto os torcedores queriam que eu permanecesse e darei tudo para lhes trazer alegria com minhas atuações em campo. Ainda não pude jogar em frente do público no Old Trafford, e isso é algo que não vejo a hora de fazer”, comentou o jogador.

Ole Gunnar Solskjaer, técnico dos Red Devils, se derreteu pelo comandado ao comentar sua renovação, destacando não só sua contribuição técnica, mas também sua entrega nos bastidores e o efeito de sua presença em todo o elenco.

“Quando o Edinson assinou, eu disse que ele traria energia, potência e liderança a este grupo, e não estava errado. Ele tem sido tudo que pensei que seria e mais. Como treinador, eu sabia de seu histórico goleador. No entanto, é a sua personalidade que trouxe tanto a este elenco. Ele tem uma mentalidade vencedora e uma atitude inequívoca em tudo o que faz. É um dos últimos a deixar o centro de treinamento e estabelece o padrão para os jovens com sua abordagem à profissão a cada dia”, destacou o norueguês.

Sofrendo de lesões e com dificuldade de reencontrar seu melhor nível quando esteve em campo, Cavani teve uma temporada final decepcionante no PSG, perdendo espaço e marcando apenas sete gols em 22 partidas. Pela idade avançada (33 anos à época) e os problemas físicos, não teve seu vínculo renovado com o clube da capital francesa e se transferiu ao Manchester United sem custos.

Pelo ano do qual vinha, o uruguaio suscitou muitas dúvidas, e parte considerável da imprensa e da opinião pública inglesas o considerava como alguém que já tinha visto o bonde passar e que pouco poderia contribuir com os Red Devils – estes não poderiam estar mais errados.

Cavani levou algum tempo para se ambientar. Mesmo deixando alguns gols aqui e ali, sofria com algumas lesões leves que o impediam de ter uma sequência e, em janeiro deste ano, foi suspenso pela FA por causa de uma publicação no Instagram que a federação entendeu ter uma conotação racista. Àquela altura, havia quase uma certeza de que o atacante deixaria o clube ao fim da temporada, com o Boca Juniors aparecendo como destino provável diante de sua aparente vontade de voltar para a América do Sul.

As últimas semanas, no entanto, transformaram o panorama. No último mês, Cavani deslanchou de vez, marcando oito gols em suas sete últimas partidas e sendo essencial sobretudo na classificação do Manchester United para a final da Liga Europa. No agregado da semifinal contra a Roma, o uruguaio participou diretamente de sete dos oito gols dos ingleses, com quatro gols e três assistências ao longo dos dois jogos.

Além do papel de liderança e do exemplo de profissionalismo destacados acima por Solskjaer, Cavani tem servido também como referência técnica aos jovens atacantes do clube, conforme já revelou o próprio treinador em entrevistas passadas, ressaltando especialmente sua movimentação sem a bola para criar oportunidades de gol e servir de opção aos companheiros.

Mesmo aos 34 anos, Cavani provou ainda ter a capacidade de fazer a diferença em um grande clube da elite do futebol. Chegou a um projeto em crescimento liderado por Solskjaer e ofereceu ao norueguês uma solução ofensiva que faltava em seu elenco, apesar de toda a qualidade ofensiva com que o técnico conta. Independentemente da possível contratação de um outro centroavante para a próxima temporada, com Haaland, Kane e até Lewandowski chegando a serem especulados, o uruguaio deverá ser uma peça importante também para a campanha 2021/22.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo