Premier League

Premier League no Brasil? Entenda a ambiciosa ideia do presidente do Liverpool

A ideia de levar jogos de ligas nacionais a outros países é defendida por clubes e também virou pauta na Fifa

Com a globalização da Premier League, o projeto de ter partidas em outros países e até em continentes distintos ao europeu ganhou força nos últimos anos. Esse discurso foi reforçado pelo presidente do Liverpool, Tom Werner, em entrevista ao Financial Times.

Um dos maiores investidores, da Fenway Sports Group (FSG), Werner, que também é presidente do Boston Red Sox, da MLB, está “determinado” a levar uma partida da elite do futebol inglês para Nova York, nos Estados Unidos.

O mesmo executivo projeta até levar um jogo para o Rio de Janeiro — quem sabe o Maracanã? –, além de outras megalópoles do planeta.

— Estou determinado a que um dia um jogo da Premier League seja disputado em Nova York. Tenho até a ideia maluca de que haveria um dia em que jogaríamos um jogo em Tóquio, um jogo algumas horas depois em Los Angeles, um jogo algumas horas depois no Rio de Janeiro, um jogo algumas horas depois em Riade e fazer com que seja uma espécie de dia em que o futebol e a Premier League sejam celebrados.

Tom Werner, presidente do Liverpool, no centro da imagem (Foto: IMAGO / Colorsport)

Incentivo para levar fãs da Premier League a outros países

Para convencer os torcedores dos Reds a aceitarem perder um jogo em Anfield Road, o mandatário do clube disse que buscará passagens e hospedagens mais acessíveis para garantir que esses fãs assistam ao jogo nos EUA.

— Vamos descobrir uma maneira de oferecer a eles [torcida] viagens e acomodações muito baratas para que, se o Liverpool jogar contra o Nottingham Forest, possamos apoiar os torcedores que vêm a Nova York e tornar isso algo atraente para eles também.

O caminho de internacionalizar partidas de campeonatos nacionais parece inevitável. Já é uma realidade em alguns esportes americanos, como a NFL, liga de futebol americano dos Estados Unidos que terá jogo na Neo Química Arena neste ano.

Como boa parte dos donos dos clubes da Premier League são estrangeiros (dos 20, oito são americanos), isso deve acontecer nos próximos anos. Isso já é uma realidade na pré-temporada, normalmente reunindo vários times ingleses nos Estados Unidos.

Vale citar que Espanha e Itália já levam, anualmente, a Supercopa local para Arábia Saudita.

Jogadores do Barcelona celebram título da Supercopa da Espanha, jogada na Arábia Saudita (Foto: Icon sport)
Jogadores do Barcelona celebram título da Supercopa da Espanha de 2023, jogada na Arábia Saudita (Foto: Icon sport)

Fifa analisa liberar jogos de ligas nacionais fora dos países

No último mês, a Fifa estabeleceu um grupo de trabalho para analisar a liberação de jogos de ligas nacionais em outros territórios, medida ainda proibida.

Em 2019, a empresa Relevant Sports, que também realiza o torneio de pré-temporada International Champions Cup, tentou levar a partida entre Barcelona e Girona, por La Liga, para Miami, mas a Fifa vetou.

A mesma Relevant agora trabalha junto a entidade máxima do futebol para liberação das partidas, especialmente para serem jogadas nos Estados Unidos e na Arábia Saudita.

Antes de aceitar ou não, a Fifa analisará pontos importantes, como calendário, impacto no equilíbrio da competição e o efeito no desenvolvimento dos países que receberiam os jogos. Também há o temor com a presença dos fãs nas arquibancadas.

A discussão tem sido feita por um grupo de trabalho entre 10 e 15 pessoas, representando os interessados na temática.

Por enquanto, somente a La Liga demonstrou interesse em transferir o mando de seus jogos para outros países, e planeja fazer isso a partir da temporada 2025/26.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo