Premier League

Pegadinha do Conte: Tottenham faz partida de puro oportunismo e goleia o Aston Villa

Volume de jogo do Aston Villa, no entanto, foi bastante interessante, o que tornou o placar bastante bizarro

Os números não mentem, mas podem distorcer bastante o entendimento a respeito de um jogo. Em Aston Villa e Tottenham, o time que mais teve a bola e deu 19 finalizações em 90 minutos acabou derrotado por 4 a 0 por um adversário com apenas 11 arremates. Fora de casa, os Spurs de Antonio Conte já tiraram o tênis e colocaram o pé em cima da mesa na zona de classificação para a Liga dos Campeões.

O contexto é um pouco complexo: o Villa ocupou muito bem o meio campo e viu em Philippe Coutinho um verdadeiro maestro nas ações ofensivas. Muito presente na armação, o brasileiro deu três passes decisivos, mas os companheiros não aproveitaram na hora de encarar o goleirão Hugo Lloris. Essa ineficiência ajuda a explicar o que foi o placar, apesar da superioridade dos mandantes. Mas não resolve o todo. O restante dessa resposta vem da qualidade do Tottenham, que mesmo sem ter a bola, sabe machucar.

Nos últimos sete jogos, os Spurs estão simplesmente imparáveis, com 25 gols marcados. Goleadas contra Everton e Newcastle ajudaram a inflar esses números e mostrar como o focado elenco de Conte se apresenta bem para essa reta final na Premier League. O que antes parecia improvável, agora vai tomando cor: o Tottenham se firmou no quarto lugar e não parece querer se desfazer dele, pela bola que vem jogando e porque os seus rivais oscilam demais.

O gol que abriu o placar foi de Heung-Min Son, logo aos três minutos. Em rebote de finalização de Harry Kane, o sul-coreano foi muito ligeiro na hora de emendar o chute, que ainda bateu na trave antes de entrar. Depois disso, o jogo foi todo do Villa, mesmo quando a goleada foi sendo consolidada na etapa final. De tão letal, o Tottenham aproveitava para capitalizar em cima de cada erro na transição defensiva dos mandantes no Villa Park.

Na volta do intervalo, Kane recebeu passe vindo de trás, escorou de cabeça e achou Dejan Kulusevski, que teve a frieza para entrar na área cercado de zagueiros e bater no cantinho da meta de Emiliano Martinez, um golaço de extrema qualidade do sueco. Para fechar a conta, sempre no contragolpe, o Tottenham contou com o poder de fogo de Son para sacramentar a bela vitória: na corrida após passe de cabeça de Kane, ele só bateu alto na saída de Martínez, 3 a 0. E o quarto gol veio na genialidade de Kulusevski, que atraiu a marcação e só rolou para Son bater no canto.

O Tottenham emplacou sua quarta vitória seguida, com estilo, e está a sete rodadas de retornar à Liga dos Campeões, se aproveitando de tropeços do rival Arsenal para ficar com a vaga. Não teria como ser mais saboroso para a torcida e sobretudo para Antonio Conte, que chegou com o plano de devolver o clube ao primeiro patamar nacional e está cumprindo a missão.

Do outro lado, o Villa de Steven Gerrard está fora de perigo, mas aprendeu uma dolorosa lição: não basta ser melhor em campo, é preciso agredir um pouco mais para se colocar em situações mais favoráveis nas partidas. O elenco também pode acompanhar o bom trabalho de Gerrard. Quem sabe com dois ou três reforços a briga do Villa mude para um cenário mais competitivo.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo