Premier League

Palmer lidera Chelsea em goleada, faz poker e alcança Haaland na artilharia

Autor de quatro gols, Palmer atinge feitos históricos pelo Chelsea e garante vitória importante para equipe londrina na Premier League

A manchete “Cole Palmer decide e salva o Chelsea” já se tornou rotina na atual temporada. E nesta segunda-feira (15), ela novamente se fez presente no jogo dos Blues. Ainda que a equipe de Mauricio Pochettino tenha tido volume de jogo e performance suficientes para sair de campo com a vitória, o grande personagem da noite, sem sombra de dúvida, foi o camisa 20. Palmer anotou quatro gols, fez história ao quebrar recorde pelo clube londrino e comandou uma goleada insana sobre o Everton, em Stamford Bridge. 6 a 0 incontestável, fora o baile.

Com o expressivo triunfo, o Chelsea foi a 47 pontos e se manteve na nona colocação da Premier League. Vale destacar, no entanto, que os Blues tem um jogo a menos em relação à maioria das equipes. Por isso, caso bata o Tottenham em partida atrasada, pode ganhar posições e se colocar de vez na briga por competições europeias – Liga Europa ou Conference League. Em contrapartida, o Everton vive um drama na parte de baixo da classificação. Estacionado em 16º lugar, os Toffees estão apenas dois pontos à frente do Luton Town, clube que abre a zona de rebaixamento.

Hat-trick em 29 minutos: Palmer liquida fatura ainda no 1º tempo

Após o amargo empate contra o lanterna Sheffield United (fora de casa), o Chelsea voltou a Stamford Bridge com um só objetivo: somar os três pontos e manter viva a esperança por uma vaga em competições europeias. O começo, entretanto, não foi muito animador. Apesar da disposição física e vontade de abrir logo o placar, os Blues pecaram na organização e esbarraram na marcação forte do Everton. E foi justamente assim que a primeira boa oportunidade do jogo surgiu. Os donos da casa erraram na saída de bola, a equipe visitante se aproveitou e por pouco não inaugurou o marcador. Debaixo das traves, Beto perdeu gol feito.

A máxima do “quem não faz leva” puniu o Everton praticamente no lance seguinte. Quando o clube de Liverpool começava a gostar da partida, o Chelsea tratou de jogar um balde de água fria no adversário. Cole Palmer, sempre ele, deu caneta desconcertante em Branthwaite, tabelou com Nicolas Jackson perto da meia-lua e, de chapa, acertou finalização no cantinho. Baqueado, o time visitante acusou o golpe. Melhor para os Blues, que ampliaram poucos minutos depois. Caicedo fez bonita individual pela esquerda e acionou Mudryk, que foi até a linha de fundo e cruzou à meia altura. De primeira, Jackson parou em Pickford. Mas no rebote, adivinha… Palmer conferiu de cabeça e estufou as redes.

Definitivamente, a noite era toda de Cole Palmer. Com 29 minutos no relógio, o camisa 20 do Chelsea recebeu um presente de Pickford e, pouco depois do meio-campo, encobriu o goleiro do Everton com tapa consciente e preciso. Hat-trick perfeito do meio-campista dos Blues: gol de pé direito, pé esquerdo e cabeça. Mais do que isso, o jovem de 21 anos chegava ao seu 19º tento na Premier League, número que o colocava na vice-artilharia da competição – atrás de Haaland (20) e empatado com Watkins (19). (calma, que vem mais por aí).

Outro feito de Palmer: o garoto prodígio do Chelsea se tornou o primeiro jogador da história do clube londrino a marcar gol(s) em sete jogos seguidos em casa, pela Premier League.

Antes do árbitro encerrar a etapa inicial, ainda deu tempo do Chelsea balançar as redes mais uma vez. Cucurella foi lançado por Palmer no corredor esquerdo, levantou a cabeça e descolou cruzamento na medida para Jackson. Com estilo e frieza, o atacante senegalês dominou e girou já emendando arremate no canto. Ela beijou a trave e caprichosamente entrou: 4 a 0.

Deu tempo de Palmer fazer mais um e Gilchrist marcar seu primeiro

A missão do Everton no 2º tempo era não passar mais vergonha. Contudo, sua postura agressiva nos minutos iniciais, de marcar adiantado e tentar surpreender o Chelsea, lhe custou caro. Os Blues, por sua vez, mantiveram a seriedade e agressividade. Mesmo com o jogo já decidido, a equipe londrina não abriu mão do protagonismo. Controlou a posse de bola, colocou os Toffees na roda e aumentou a contagem em Stamford Bridge.

Palmer foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti. Em meio à confusão entre Jackson e Madueke para decidir quem cobraria, o camisa 20, batedor oficial do time, pegou a bola, chamou a responsabilidade e marcou seu quarto gol na partida – feito que não acontecia desde março de 2010 no Chelsea. Na ocasião, Frank Lampard, maior artilheiro da história do clube, anotou um poker-trick diante do Aston Villa.

Cria das categorias de base dos Blues, Gilchrist, que havia acabado de entrar em campo, fez seu primeiro gol como profissional e fechou a conta aos 45′. E terminou assim em Stamford Bridge. Goleada arrebatadora do Chelsea, Cole Palmer fazendo história e assumindo a artilharia da Premier League (ao lado de Haaland) e Mauricio Pochettino ganhando respiro no comando da equipe. Noite perfeita para os azuis de Londres, que agora enfrentam o Manchester City, sábado (20), em Wembley, pela semifinal da Copa da Inglaterra.

Estatísticas de Chelsea 6 x 0 Everton – Premier League 2023/24

  • Posse de bola: 59% x 41%
  • Faltas: 5 x 21
  • Finalizações: 14 x 9
  • Finalizações no gol: 10 x 1
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo