Premier League

O Huddersfield foi um cruel carrasco às esperanças do United, que não tem mais chances de alcançar o G-4

A montanha-russa do Manchester United na temporada, enfim, desacelera. E não em um ponto tão alto quanto os torcedores sonhavam. Depois da péssima campanha com José Mourinho, Ole Gunnar Solskjaer conseguiu resgatar o brio dos Red Devils e apontava à zona de classificação à Champions. Todavia, o trabalho do norueguês se desgastou rapidamente, e os mancunianos já sabem que não irão à Liga dos Campeões na próxima temporada. A confirmação da notícia veio com outra decepção. Diante do já rebaixado Huddersfield, os visitantes ficaram no empate por 1 a 1 no John Smith’s Stadium. Terão que se contentar com a Liga Europa, em tempos de reconstrução do elenco.

[foo_related_posts]

Contra um adversário frágil e sem interesse na tabela, o Manchester United tinha a obrigação da vitória. Por isso mesmo, começou a partida buscando o ataque e abriu vantagem logo aos oito minutos. Scott McTominay arriscou o chute na entrada da área e contou com a grande colaboração do goleiro Jonas Lössl, que deixou a bola passar sob o seu corpo. Só que o início agressivo dos Red Devils não duraria mais do que 15 minutos. As finalizações começaram a rarear na sequência do primeiro tempo, conduzido em ritmo de treino. Quando pôde marcar, pouco antes do intervalo, Paul Pogba carimbou a trave. Todavia, David de Gea também seria testado, em chute de Karlan Grant.

O United parecia disposto a garantir a vitória na volta do segundo tempo. Porém, dava espaços aos contragolpes e cedeu o empate aos 15 minutos, quando um escanteio aos visitantes permitiu que Isaac Mbenza balançasse as redes do outro lado. Lössl se redimiu com uma assistência, em reposição rápida que acionou o contra-ataque. Luke Shaw falhou feio e também não teve a mínima velocidade para acompanhar Mbenza, que definiu na saída de David De Gea. A comemoração do atacante, aliás, resultou em uma cena patética. Ele quebrou a bandeirinha de escanteio e a substituição demorou mais de cinco minutos. Quando finalmente a nova bandeira foi instalada, a torcida ovacionou os funcionários do estádio.

O empate não foi bem digerido pelo Manchester United. Mesmo dominando a posse de bola, o time encontrava dificuldades na criação. A pressão só deu resultado nos 15 minutos finais, mas a falta de precisão não permitiu a vitória. Marcus Rashford e Tahith Chong (que saiu bem do banco) tentaram resolver, parando nas defesas de Lössl ou na falta de pontaria. Além disso, Pogba mostrou que não era mesmo o seu dia. O meio-campista acertou um bonito chute e carimbou o travessão pela segunda vez na tarde, num símbolo da frustração dos mancunianos. O Huddersfield, ao menos, se despediu de sua torcida na Premier League com um pouco de dignidade. O próximo jogo no estádio será já pela Championship.

Restando uma rodada para o fim do campeonato, o Manchester United soma 66 pontos, na sexta colocação. Está a quatro do Tottenham e não pode mais alcançar o G-4. Na melhor das possibilidades, terminará na quinta colocação O Arsenal, com os mesmos 66 pontos, joga neste domingo ainda e tem vantagem ampla no saldo. Mas, no máximo, a posição acima melhoraria aos mancunianos fase de entrada na Liga Europa. Pouco a um clube com a história e com o investimento dos Red Devils. O Huddersfield, por sua vez, é o lanterna. Tem 15 míseros pontos. O empate deste domingo encerrou uma sequência de oito derrotas consecutivas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo