Premier League

Na volta dos campeões, Terry teve talvez a última chance de celebrar um gol com sua torcida

O Stamford Bridge se vestiu para a festa. O Chelsea ainda não levantou a taça da Premier League, mas o estádio recebeu de volta o seu campeão, no primeiro encontro com a torcida desde a confirmação do título nacional. Ocasião especial para passar as faixas e exaltar o elenco de Antonio Conte. O Watford prometia não ser dos convidados mais submissos, mas também não representava um desafio tão grande. Assim, em um jogo aberto e com vários reservas ganhando uma chance, os Blues sublinharam o seu posto no topo da tabela com a vitória por 4 a 3. E, de quebra, ovacionaram John Terry. Em sua penúltima partida na velha casa, o capitão foi herói, apesar dos deslizes. Recebeu os merecidos aplausos, que se repetirão uma última vez, com o troféu em mãos.

VEJA TAMBÉM: Um grito de campeão esperado e incontestável: O Chelsea volta a reinar na Premier League

Terry figurou entre os titulares na Premier League pela primeira vez desde setembro. E 22 minutos bastaram para mostrar que aquela seria uma noite para ficar na memória. A cobrança de escanteio foi seguida por uma enorme bagunça dentro da área do Watford. Mas a bola sobrou ali, mansa, para que o capitão finalizasse na raça, quase caindo. Seu primeiro gol na última temporada pelo clube. Quem sabe, o último gol de quem se acostumou a balançar as redes tantas vezes, mesmo jogando longe do ataque. A comemoração explosiva também se encheu de emoção, com os abraços de todos os companheiros. Os olhos do zagueiro durão marejaram.

Tanta emoção que Terry acabou falhando logo no primeiro ataque do Watford desde então. Em uma bola que parecia neutralizada pelo alto, o veterano tentou recuar para Asmir Begovic e entregou a bola para Etienne Capoué empatar. As câmeras voltaram a frisar o seu rosto, um tanto quanto desconsertado pela besteira que acabara de cometer. Nada que abalasse a gratidão ou sua idolatria. Afinal, se o capitão representa tanto em Stamford Bridge, muito é por sua liderança. E então, os companheiros saíram ao resgate para recuperar o sorriso do defensor.

O segundo tento saiu 12 minutos depois, em tiro rasante de César Azpilicueta. E os Blues ampliaram logo no início da segunda etapa, com Michy Batshuayi reforçando toda a sua estrela na reta final da temporada, após já ter marcado o gol do título. Com o ritmo de festa balançando o coração do Chelsea, o Watford aproveitou dois cochilos para empatar. Daryl Janmaat e Stefano Okaka possibilitaram a reação. O que, no fim das contas, daria ares de épico ao resultado positivo. Aos 43, Cesc Fàbregas tirou o coelho da cartola e permitiu a festa da vitória em chute mascado na entrada da área, decretando o triunfo por 4 a 3. Evitou qualquer sentimento de frustração.

O apito final serviu de sinal para que os fogos ganhassem os ares de Stamford Bridge e os jogadores celebrassem com sua torcida. Os Blues chegam aos 90 pontos, já a melhor pontuação do campeonato desde 2006. E, com um jogo restante, há a possibilidade de registrar o segundo melhor aproveitamento da era Premier League, atrás apenas do primeiro título dos londrinos com José Mourinho, em 2004/05. Não é pouco. O compromisso final com o Sunderland é a deixa para a história, que terá ainda um prólogo na Copa da Inglaterra. John Terry continuará entre os protagonistas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo