Premier League

Morata dispensa recordes pessoais: “Se me preocupasse com isso deveria jogar tênis”

Álvaro Morata chegou ao Chelsea como a maior contratação do clube londrino. Custou € 65 milhões em uma operação que ainda pode chegar a € 80 milhões com bônus de desempenho atrelados. Mais do que isso: Morata chegou com a pesada responsabilidade de substituir Diego Costa, crucial na conquista da Premier League na temporada passada, com 20 gols marcados. Depois de dois gols em dois jogos em Stamford Bridge, além de uma assistência, a torcida do Chelsea se empolga com o espanhol, que não dá importância às marcas pessoais e foca na vitória.

LEIA TAMBÉM: O Chelsea jogou com autoridade de campeão e não deu chances ao Everton em Stamford Bridge

“Estou feliz porque eu marquei, fiz uma assistência e o time venceu”, afirmou Morata depois do jogo, ao site do Chelsea. “Foi uma vitória importante. Em Stamford Bridge nós precisamos vencer todos os jogos e tentar conquistar os três pontos. Nós jogamos bem. É muito difícil jogar contra o Everton e o time fez um trabalho muito bom. Nós não demos oportunidades ao Everton”, analisou Morata.

Morata se tornou o primeiro jogador na história da Premier League a marcar um gol e fazer uma assistência em seus dois primeiros jogos em casa. O atacante espanhol não deu importância à marca e afirmou que não se preocupa com recordes individuais e prefere conquistas coletivas. “Isso não importa para mim. Eu prefiro vencer alguma coisa. Eu sempre penso que é um esporte coletivo. Se eu começar a pensar quantos gols eu farei, provavelmente eu deveria ir jogar tênis”, disse.

O atacante ainda está se adaptando e disse que é incrível poder jogar ao lado de Cesc Fàbregas, seu companheiro de seleção espanhola. “Para mim, é importante jogar e fazer adaptações ao meu jogo. Não é fácil: um novo país, outra língua, outro estilo de futebol”, afirmou. “Eu preciso de tempo para todas as coisas na Premier League, mas eu estou bem, meus colegas me ajudaram a tornar mais fácil e eu estou feliz por estar aqui”.

Morata tem o desafio de conseguir ser o principal atacante de um time. Depois de surgir na base do Real Madrid, teve um papel muito importante na Juventus, mas era um coadjuvante de Carlos Tevez e depois de Mario Mandzukic.  Voltou ao Real Madrid para ser um reserva de luxo e quis alçar voo com a proposta do Chelsea.

Vestindo a camisa 9, Morata quer finalmente liberar o artilheiro que mostrou ter potencial para ser. Sua última temporada foi a mais goleadora na carreira, com 20 gols no total, sendo 15 deles no Campeonato Espanhol. O desafio é ir além desses números e ter boas atuações consistentemente.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo