Premier League

No ‘ensaio’ para final da Copa da Liga, o Liverpool mostrou que é (muito) superior e passeou contra o Chelsea

Do primeiro ao último minuto, o Liverpool massacrou o Chelsea e aplicou um 4 a 1 incontestável em Anfield

Nos últimos sete encontros entre Liverpool x Chelsea, sete empates. Nesta quarta-feira (31), no entanto, tal sina chegou ao fim. Em um Anfield completamente lotado e pulsante (para variar), os Reds passaram por cima dos Blues e venceram por 4 a 1, pela 22ª rodada da Premier League. Diogo Jota, Conor Bradley, Szoboszlai e Luis Díaz marcaram para os donos da casa, enquanto Nkunku diminuiu no lado da equipe londrina.

Com o triunfo, o Liverpool foi a 51 pontos e se manteve na liderança, cinco à frente do segundo colocado Manchester City, que tem um jogo a menos. Já o Chelsea segue estacionado nos 31 pontos, agora em 10º lugar.

Vale lembrar que Liverpool e Chelsea voltam a se enfrentar em menos de um mês. No dia 25 de fevereiro, as equipes medem forças no Estádio de Wembley, em duelo válido pela final da Copa da Liga Inglesa.

Foi um massacre do Liverpool no 1º tempo e o 2 a 0 ficou barato

O Liverpool começou melhor e tentou encurralar o Chelsea nos minutos iniciais. A tradicional blitz dos Reds incomodou os Blues, que não tinham resposta para pressão. Aos 5′, Conor Bradley lançou Darwin Núñez em velocidade, o atacante uruguaio invadiu a área e tentou toque por cobertura. Bem posicionado, Petrovic não mordeu a isca e defendeu sem sustos. No lance seguinte, a resposta do time visitante, que reclamou muito com a arbitragem. Em troca de passes rápida, Gallagher recebeu dentro da área, fintou Van Dijk e foi derrubado pelo holandês. O juiz mandou seguir e o VAR não interveio na jogada, para desespero de Pochettino e seus comandados.

Com controle quase que total da posse de bola, o Liverpool trocava passes na intermediária, buscando brechas na defesa adversária. O Chelsea, por sua vez, baixava as linhas, se fechava e não conseguia escapar em contra-ataques. Aos 17′, novo lance de perigo envolvendo Darwin Núñez, muito parecido com o primeiro. Posicionado entre Thiago Silva e Disasi, o camisa 9 recebeu lançamento preciso de Konaté, bateu os dois zagueiros, arrematou cruzado e obrigou Petrovic a fazer defesa providencial. A bola chegou a tocar na trave antes de sair.

Com 22′ no relógio, não teve jeito. A superioridade do Liverpool em campo falou mais alto. Bradley roubou a bola de Chilwell no lado esquerdo e serviu Diogo Jota. O atacante português deu uma de fominha e não devolveu para o companheiro (que fazia a ultrapassagem livre), mas passou ileso entre Thiago Silva e Badiashile e tocou na saída de Petrovic: 1 a 0.

Nada mudou após o gol do Liverpool. Perdido e apático em campo, o Chelsea continuou vulnerável e abusando dos erros. Aos 30′, Curtis Jones fez boa jogada individual pelo lado esquerdo, limpou a marcação e chutou no cantinho. Petrovic (mais uma vez) se esticou todo e evitou o segundo tento dos Reds. Mas ele era questão de tempo…

Pouco tempo depois, Caicedo errou passe no meio-campo e deu nos pés de Luis Díaz. O colombiano avançou, levantou a cabeça e acionou Bradley, que entrou na área pela direita e finalizou cruzado, dessa vez sem chances para Petrovic. Primeiro gol do jovem de 20 anos pelo Liverpool. Aos 44′, Van Dijk foi lançado na área, dominou no peito e cruzou na direção de Diogo Jota, que acabou calçado por Badiashile. Pênalti. Darwin Núñez cobrou e… carimbou a trave.

Nkunku foi a única boa notícia do Chelsea, que amargou uma justíssima goleada em Anfield

Muito insatisfeito com o desempenho de sua equipe no primeiro tempo, Pochettino realizou logo três mudanças na volta do intervalo. Na tentativa de ganhar velocidade e pode de fogo, o técnico argentino mandou Malo Gusto, Nkunku e Mudryk a campo. Em um primeiro momento, os Blues apresentaram leve melhora. Aos 5′, Gusto arrancou pela direita, enxergou bem Mudryk fechando na área e cruzou. Livre de marcação, o camisa 10 chutou desequilibrado, sem direção, e perdeu a melhor oportunidade dos visitantes até então no jogo.

Aos 19′, tudo voltou ao normal e o Liverpool fez o terceiro. Van Dijk descolou lançamento perfeito para Bradley no lado direito e a torcida dos Reds sabia que sairia coisa boa dali. O garoto fez Badiashile de bobo, foi até a linha de fundo e cruzou na cabeça de Szoboszlai, que testou consciente e aumentou a contagem em Anfield.

E não é que o Chelsea diminuiu… Aos 25′, Chukwuemeka, que havia acabado de entrar, serviu Nkunku na área e o francês mostrou porque é diferente. Com lindo giro, ele tirou três marcadores da jogada e arrematou cruzado, no canto esquerdo de Alisson. Contudo, a reação durou pouco. Os Blues se atiraram ao ataque e ficaram ainda mais expostos. Tanto que aos 33′, Luis Díaz fechou o caixão. Em cruzamento na medida de Darwin Núñez, o colombiano chegou antes de Badiashile e empurrou para as redes. 4 a 1.

Estatísticas de Liverpool 4 x 1 Chelsea – Premier League 2023/24

  • Posse de bola: 52% x 48%
  • Faltas: 15 x 16
  • Finalizações: 28 x 4
  • Finalizações no gol: 13 x 3
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo