Premier League

Klopp e Arteta criticam votação contra cinco substituições na Premier League: “Não se trata de vantagens”

A discussão do número de substituições na Premier League aparentemente irá se arrastar ao longo de toda a temporada. Depois de os clubes votarem, e rejeitarem, pela terceira vez a reintrodução de cinco alterações por jogo, técnicos das grandes equipes reagiram à decisão. Jürgen Klopp e Mikel Arteta, treinadores de Liverpool e Arsenal, reiteraram que a principal questão era a saúde dos jogadores, e não possíveis vantagens esportivas para clubes com elencos mais recheados.

Klopp destacou como apenas a liga inglesa, entre as principais do mundo, se ateve ao limite tradicional de três substituições: “Todos sabem minha opinião sobre isso. Todos sabem que dez clubes votaram contra. Não se tratava de vantagens, mas apenas do bem-estar dos jogadores. E eles votaram contra isso. Basicamente, só eles votaram contra isso em todo o mundo”.

“Não sei quais outras ligas têm apenas três substituições. Deve haver uma boa razão para isso, para que todas essas ligas e clubes tenham votado a favor”, apontou.

Arteta reforçou a crítica, fazendo referência aos dados que têm mostrado o aumento na incidência de lesões devido ao calendário apertado, desde a preparação curta para a temporada. Números levantados pela Sky Sports no início deste mês mostraram um aumento de 17% nos casos de contusões musculares, além, é claro, de jogadores (33, mais especificamente) que desfalcaram suas equipes por terem contraído a Covid-19.

“No momento, não (consigo entender os dois lados da discussão), porque o mais importante é o bem-estar dos jogadores, e a melhor maneira de protegê-los e ter opções para protegê-los é ter a opção de estender o número de substituições”, argumentou Arteta.

“Nós somos os únicos fazendo isso na Europa. Para mim, não faz muito sentido. Mas estamos pressionando, estamos fornecendo vários dados, dando nossa opinião. Temos muitas estatísticas para apoiar o que dizemos sobre o que está acontecendo na Premier League em termos de lesões, mas ainda não houve uma reação a isso”, queixou-se o treinador do Arsenal.

Na reta final da temporada passada, a Premier League havia adotado as cinco substituições, mas voltou atrás na decisão para a disputa da atual campanha. Desde o início da nova temporada, três votações já foram feitas, tentando retomar o limite elevado de alterações, mas a cada vez a proposta foi rejeitada pelo fato de clubes menores consideraram a medida uma vantagem competitiva para as equipes de maior poderio econômico.

Nesta votação mais recente, feita na quinta-feira (17), dez clubes foram contrários à reintrodução das cinco alterações: Aston Villa, Burnley, Crystal Palace, Fulham, Leicester, Leeds, Newcastle, Sheffield United, West Ham e Wolverhampton. Para que qualquer decisão grande seja tomada na Premier League, 14 dos 20 clubes precisam ser favoráveis.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo