Premier League

Independentemente do desejo de Kane, tirá-lo do Tottenham será tarefa dificílima para qualquer clube

Imprensa inglesa afirma que o atacante teria informado aos Spurs a sua vontade de buscar novos ares, mas transferência poderia ultrapassar £ 150 milhões

A permanência de Harry Kane no Tottenham nunca esteve tão em dúvida quanto agora. Diversos veículos de comunicação da Inglaterra, como Sky Sports e The Guardian, noticiam que o atacante teria informado aos Spurs o desejo de deixar o clube na próxima temporada, insatisfeito pela falta de títulos ou mesmo de perspectiva de conquistar um com a equipe do norte de Londres. Independentemente da procedência desta informação, tirar Kane do Tottenham não será tarefa fácil para nenhum pretendente.

Sob o comando de Daniel Levy, os Spurs têm uma fama de dificultarem a transferência de seus grandes destaques, pedindo quantias muito altas aos interessados. A última grande estrela do Tottenham antes de Harry Kane, Gareth Bale, só foi negociada após o Real Madrid aceitar pagar uma quantia até então recorde pelo galês (€ 100 milhões), em 2013.

Com Kane sendo o grande rosto do clube há anos, tendo uma história de identificação com a instituição por vir das categorias de base, estamos falando aqui de uma possível quantia proibitiva. A imprensa inglesa especula algo acima de £ 150 milhões, valor especialmente problemático aos pretendentes visto o contexto de pandemia e a idade do atacante (27 anos), que tem ainda um histórico de lesões difícil de ignorar.

Seu contrato atual com o Tottenham tampouco facilita as coisas para uma possível saída. Em 2018, o atacante acertou um vínculo de seis anos de duração, previsto para terminar em 2024. Com muitos anos restantes no acordo, os Spurs têm toda a vantagem em uma negociação, podendo forçar a mão dos pretendentes e conduzir as conversas como preferir.

O dilema pessoal de Harry Kane não é uma história inédita, e muitos ex-jogadores que um dia estiveram em seu lugar já deram seus pitacos ao longo dos últimos anos. Mais notavelmente, Dimitar Berbatov comentou em diversas oportunidades que Kane deveria fazer o mesmo que ele fez no passado e deixar os Spurs para enfim coroar sua carreira com títulos.

“Seria triste se, ao fim da carreira, ele olhasse para trás e não visse um título de Premier League em algum momento, já que ele é um dos melhores atacantes do mundo. É uma decisão difícil, porque ele está em um grande ambiente, com um grande estádio, centro de treinamento e outras coisas. A única coisa que falta para ele são troféus”, disse em entrevista recente para a Betfair, no mês passado.

Refletindo sobre o seu caso, quando deixou o clube londrino em 2008 para ir para o Manchester United, Berbatov completou: “Eu fui o Harry Kane no Tottenham um dia. Estive nesta posição, com a mesma decisão a tomar e no mesmo clube. Muita coisa passa por sua cabeça. Se ele for, ele estará decepcionando muitos torcedores dos Spurs. Alguns vão se virar contra ele, é assim que é no futebol. Os torcedores levam para o lado pessoal, sentem como se você tivesse traído o clube. A minha situação era parecida, mas também levemente diferente. Eu queria ir para o maior clube para vencer troféus, e este clube era o Manchester United. Quando soube que havia uma chance de ir para lá, não hesitei.”

Para Berbatov, e uma série de outros jogadores, deixar o Tottenham foi uma decisão que trouxe recompensas. O búlgaro conquistou duas Premier Leagues, entre outros títulos menores, e depois dele nomes como Modric, Bale, Walker e Eriksen também seguiram em frente e atualizaram sua lista de troféus.

Kane já reconheceu publicamente que a falta de títulos lhe incomoda. Três semanas atrás, ao receber o prêmio de melhor jogador da Premier League em 2020/21 no London Football Awards, o atacante afirmou: “Quando olhar para trás ao fim da minha carreira, (prêmios individuais) são coisas pelas quais vou passar e parar para ver, mas o objetivo agora, como jogador, é vencer troféus coletivos. Por mais que isso seja ótimo (vencer o prêmio), quero vencer os maiores prêmios coletivos. Não estamos fazendo isso. São emoções contraditórias, mas é isso aí”. Embora àquela altura não tenha indicado o desejo de deixar os Spurs, o intervalo curto entre esta declaração e a bomba que cai agora na imprensa inglesa aumenta a incerteza sobre sua continuidade.

Se desejar mesmo partir, Kane terá boas perspectivas de títulos pela frente, já que os principais interessados em seu futebol são clubes de grande orçamento e capazes de brigar no topo da tabela. Na Inglaterra, Manchester City, Manchester United e Chelsea aparecem como os grandes pretendentes, e o Guardian fala que o atacante estaria disposto também a jogar na Espanha, o que concentraria suas opções em duas máquinas de ganhar títulos: Barcelona e Real Madrid.

Onde quer que vá, Kane está destinado a fazer a diferença e a se tornar uma peça importante nas ambições de qualquer clube que seja. A glória por um City, United e Chelsea, no entanto, não teria o mesmo peso que pelo Tottenham, em que seria o principal responsável por colocar fim a uma espera que já acumula 13 anos e estenderia sua lenda como um dos grandes ídolos da instituição.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo