Premier League

Um golaço de Mac Allister garantiu a vitória e a liderança para o Liverpool

Líder Liverpool sofreu contra o lanterna da Premier League, mas venceu após golaço do argentino

Já passava da meia hora da etapa final. O Liverpool, em pleno Anfield Road, apenas empatava com o Sheffield United, de longe o pior time da atual Premier League, e tinha dificuldades para criar algo efetivamente claro. Eis que uma jogada despretensiosa pela esquerda, até devagar, termina em cruzamento. A defesa afasta, a bola bate em Luis Díaz e, na meia-lua, sobra perfeita para Alexis Mac Allister enfiar o pé para colocá-la no angulo. Perfeição. O que faltava para os Reds vencerem por 3 a 1 e manter a liderança do Campeonato Inglês após 31 rodadas.

Isso que o meia argentino, que também brilhou na vitória por 2 a 1 sobre o Brighton, no último final de semana, não jogou de camisa 10 como aconteceu há poucos dias. Hoje, com a ausência de Wataru Endo, Mac Allister era o volante mais recuado, responsável por armar o time desde atrás e ser o homem de combate no meio. Não é uma novidade, já fez essa função antes em 2023/24, mas impressiona a capacidade do jogador que ainda mandou uma falta na trave e quase fez o terceiro antes dos 40.

A partida de hoje foi quase toda do Liverpool, mas a equipe de Klopp teve muita dificuldade em furar o bloqueio do Sheffield. Tanto que o primeiro gol só veio porque Darwin Núñez pressionou a saída do goleiro rival e, incrivelmente, Ivo Grbic teve lançamento bloqueado pelo uruguaio, vendo a bola tomar devagarinho o rumo do gol.

Na etapa final, os Blades, em rápido contra-ataque, buscaram o empate. O brasileiro naturalizado holandês Gustavo Hamer começou a jogada no meio ao acionar McAtee na ponta direita e disparou para área. O meia inglês limpou Joe Gomez, cruzou na segunda trave para Hamer desviar e a bola explodiu em Conor Bradley antes de passar por Caoimhin Kelleher. Porém, o visitante não mostrou forças para reagir depois do segundo do Liverpool e ainda deu tempo para Cody Gakpo marcar o terceiro, de cabeça, após cruzamento de Andrew Robertson.

A vitória mantém a vantagem de dois pontos do Liverpool para o Arsenal, segundo colocado, e três ao Manchester City, o terceiro.

1º tempo de dificuldades é definido por erro de goleiro do Sheffield

Os 45 minutos iniciais foram quase todos do Liverpool. Tomou conta das ações ofensivas, teve a bola no pé e empilhou finalizações. Mohamed Salah tentou se aproveitar da saída do gol em cruzamento um tanto atrapalhada de Grbic, que se recuperou e defendeu a batida chapada do egípcio. O mesmo atacante voltaria a dar uma chapada de fora da área, mesmo caminho tentado por Alexis Mac Allister, Joe Gomez e Dominik Szoboszlai, sem efetividade.

Os Reds de Jürgen Klopp, apesar do domínio e presença no campo de ataque, mostraram dificuldades para infiltrar a defesa rival e só conseguiram porque Núñez mostrou toda entrega e vontade para apertar Grbic, o que fez o goleirão dar um gol de graça para o uruguaio.

Pior time da Premier League, obviamente o Sheffield não tentaria ter a bola ou atacar muito. No entanto, quando chegou, conseguiu levar perigo. Deu sustos com menos de um minuto no relógio, quando um lateral na área terminou com James McAtee na cara do gol, mas o jovem meia chutou em cima de Caoimhin Kelleher, que no final da etapa inicial voltaria a brilhar em tentativa de Jayden Bogle.

Liverpool precisa de susto para acordar na etapa final

O time de Anfield voltou da mesma forma para etapa final, só não contava com a reação dos Blades, que além de chegarem ao gol contra de Bradley, voltaram a contra-atacar e ameaçar até uma vitória.

Antes do gol de Mac Allister, Klopp incrivelmente tirou Salah, que saiu nervoso. Com ou sem o egípcio, a equipe tinha dificuldades para criar. Só chegou em cabeçada forte do zagueiro Virgil Van Dijk, defendida por Grbic, e com chance perdida por Robertson após cruzamento na segunda trave.

No fim, Gakpo conseguiu aproveitar os minutos que ganhou ao entrar na vaga de Gomez.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Nascido e criado em São Paulo, é jornalista pela Universidade Paulista (UNIP). Já passou por Yahoo!, Premier League Brasil e The Clutch, além de assessorias de imprensa. Escreve sobre futebol nacional e internacional na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo