Premier League

Econômico, Manchester City bate o Leicester em jogo ofuscado na rodada do Inglês

Bernardo Silva resolveu a vida de Pep Guardiola enquanto todos os olhos se voltaram para o retorno de Cristiano Ronaldo

A vida de Pep Guardiola não está sendo muito fácil neste começo de temporada. Afinal de contas, o Manchester City foi derrotado pelo Tottenham logo na estreia e perdeu a chance de contratar os Harry Kane e Cristiano Ronaldo na mesma janela de transferências. Apesar dos lamentos, o treinador terá de trabalhar com o que tem, e não é pouca coisa. 

LEIA MAIS: O homem voltou: Ronaldo reestreia em grande estilo pelo Manchester United

Em uma rodada que esteve quase que integralmente focada no Old Trafford na estreia de Cristiano Ronaldo, o Manchester City pegou o Leicester e fez sua parte para somar mais três pontos. A missão de recuperação ficou um pouco mais acessível para os Citizens, e graças a outro português que esteve longe das manchetes: Bernardo Silva.

Vencer é mais importante do que entreter

Os Foxes, no entanto, não ofereceram muita facilidade no King Power Stadium. Com a incumbência de tirar o último passe e bloquear as finalizações do City, o Leicester de Brendan Rodgers sofreu para passar 90 minutos sem levar gols. No clássico duelo de ataque contra defesa, era bastante claro que o poder de fogo dos Citizens faria a diferença no detalhe.

Apesar da propensão ofensiva, o placar foi bastante pobre para o que prometia. Bernardo Silva completou uma jogada de perigo pela esquerda da área. O meia, aliás, fez uma partida estupenda, de bastante eficiência e participação nas ações do City. Outro grande destaque foi o capitão Ilkay Gündogan, onipresente no meio e sempre carimbando a bola antes de repassar aos companheiros. Ao fim do dia, a regularidade do time de Guardiola rendeu pontos importantes na perseguição aos rivais.

A classificação não mente: o Manchester United pode até estar na dianteira, com 10 pontos, mas vê o arquirrival segui-lo de perto, com um ponto a menos. Numa situação de tiro longo, é difícil cravar quem tem mais chance de se sustentar no topo nas rodadas finais. Sabemos que a batalha será acirrada e com outros atores na briga, portanto, ter um começo tão equilibrado apenas aquece o clima para os clássicos que virão logo mais.

Embora seja favorito pelo trabalho construído e desenvolvido desde que Guardiola chegou, o City parece estar satisfeito com o fato de não ser a grande atração da Liga neste momento. De vitória em vitória, quem sabe se virá uma nova arrancada com sobras na ponta da tabela?

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo