Premier League

Dois lances brilhantes abriram o caminho ao City numa vitória de completo domínio sobre o Everton

João Cancelo deu um lançamento de trivela fabuloso, enquanto Rodri acertou uma sapatada no ângulo

Algumas vezes o placar não é suficiente para dimensionar o controle que o Manchester City teve numa partida. E isso acontece nos 3 a 0 sobre o Everton, neste domingo, dentro do Estádio Etihad. O time de Pep Guardiola ficou com 77% de posse de bola e só permitiu quatro finalizações aos adversários, três delas ainda bloqueadas. Entretanto, não foi necessária uma goleada para se notar a imposição. Os tentos, aliás, demoraram um tempo para sair. A porteira se abriu, no fim, graças a dois lances brilhantes dos Citizens. O lançamento de trivela de João Cancelo ainda vai ser repetido no YouTube por muitos anos. Já a paulada de Rodri vai figurar na lista de gols mais bonitos da temporada na Premier League.

O jogo seria disputado nos arredores da área do Everton desde os primeiros minutos. Exceção basicamente feita à saída dos Toffees nos primeiros segundos, a equipe precisou se fechar na defesa diante da ampla posse de bola do Manchester City. Os primeiros minutos, contudo, não indicavam muita urgência dos celestes. A equipe rodava a bola com certa paciência até encontrar espaços para tentar as finalizações, não tão frequentes. Nas primeiras chegadas mais perigosas, faltou caprichar um pouco mais no passe. Enquanto isso, do outro lado, a defesa dos Citizens travava as tentativas de contragolpes.

Uma cena bonita nesses primeiros minutos acontecia nas arquibancadas, com a torcida do City cantando o nome de Sergio Agüero, diante das notícias de que o ídolo vai anunciar o fim de sua carreira na próxima semana por conta de um problema cardíaco. Em campo, o time de Pep Guardiola só aumentou um pouco mais a intensidade por volta dos 30 minutos, com infiltrações mais frequentes. O Everton tentava resistir na marcação, mas os arremates começavam a sair. Raheem Sterling cabeceou por cima da pequena área e, quando Jordan Pickford saiu nos pés de Bernardo Silva, Ilkay Gündogan mandou a sobra no travessão. Quem agradava era Cole Palmer, garoto de 19 anos testado por Guardiola no ataque e que participava muito, também exigindo uma boa defesa de Pickford.

O Manchester City chegou a ter um pênalti marcado sobre Sterling aos 35, mas o lance foi revertido após revisão do VAR. Não que os Citizens precisassem disso para o gol, que saiu aos 44. Numa bola rebatida para a intermediária, João Cancelo deu um lançamento estupendo. O lateral dominou a bola e mandou uma trivela perfeita, que encontrou Sterling passando nas costas da zaga. O atacante ficou de frente com Pickford e só precisou bater de chapa, no canto das redes.

O segundo tempo não mudou seu desenho, com o Manchester City ainda mais presente no ataque. E, com a vantagem, tudo ficou mais fácil. O segundo gol, aos 10 minutos, foi outra pérola. Numa bola que chegou pedindo para ser chutada na intermediária, Rodri cumpriu o desejo e mandou uma sapatada sem escalas, direto ao ângulo. Pickford não teve o que fazer, mesmo resvalando no tirambaço. Sem que o Everton representasse grande perigo mesmo nos contragolpes, os celestes administravam a posse e buscavam o ataque vez ou outra.

O Manchester City poderia construir uma vantagem maior, mas não que dependesse de tanto esforço. Em sua meta, Ederson basicamente se preocupava em interceptar cruzamentos, quando muito. Aos 33, Sterling desperdiçou um grande chance de ampliar, ao receber o passe na cara de Pickford e carimbar o goleiro. O último gol surgiria aos 41, numa troca de passes em velocidade. Palmer chutou prensado, mas a bola espirrou como uma enfiada para Bernardo Silva, que ficou quase na pequena área e chutou por baixo de Pickford. Os 3 a 0 eram mais condizentes com a superioridade dos anfitriões. No fim, ainda deu para outro garoto de 19 anos estrear, James McAtee, e dar algumas demonstrações de talento.

O Manchester City reassume a segunda colocação e mantém o ritmo dos principais concorrentes. Os celestes chegam aos 26 pontos, três abaixo do Chelsea, mas um acima do Liverpool. Além disso, a posição no G-4 fica ainda mais consolidada com uma vantagem de seis pontos. O Everton, em queda livre, estacionou nos 15 pontos e caiu ao 11° lugar. Esta foi a sexta rodada consecutiva sem vitórias do time de Rafa Benítez.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo