Premier League

Os desfalques não param de surgir para Postecoglou, que não terá Bentancur até fevereiro

Substituído no primeiro tempo da derrota para o Aston Villa, Rodrigo Bentancur rompeu os ligamentos do tornozelo e vai desfalcar o Tottenham por dois meses e meio

Com três derrotas consecutivas e tendo caído da primeira para a quinta colocação da Premier League, o Tottenham vive seu primeiro momento de contestação sob o comando do técnico Ange Postecoglou. Os resultado em campo, no entanto, não são os únicos motivos de preocupação para o comandante australiano. Substituído ainda no primeiro tempo do revés para o Aston Villa, no domingo (26), Rodrigo Bentancur teve diagnosticada a ruptura dos ligamentos do tornozelo e será mais um nome na extensa lista de desfalques dos Spurs.

O meio-campista uruguaio já havia sofrido com uma grave lesão este ano, tendo ficado mais de oito meses sem atuar em decorrência do rompimento o ligamento cruzado anterior (LCA) em fevereiro. Ele retornou aos gramados no fim de outubro e vinha recebendo cada vez mais minutos, saindo do banco na vitória sobre o Crystal Palace e nas derrotas para Chelsea e Wolverhampton.

Mesmo somando menos de 90 minutos pelos Spurs desde a volta, Bentancur foi convocado para defender o Uruguai na última Data Fifa do ano. O meia aproveitou o chamado, participando da reta final da vitória sobre a Argentina e sendo titular no 3 a 0 sobre a Bolívia. As atuações, inclusive, lhe renderam grandes elogios de Marcelo Bielsa.

É difícil encontrar uma área do meio-campo que (Bentancur) não esteja em condições de assumir. Não há muitos jogadores que defendam como um meia-defensivo, que ataquem e defendam como um meia-central, um camisa 8, e que quando chegam à área rival possuem os recursos e as qualidades de um meia-atacante. É um caso muito especial dentro do futebol em geral. Um jogador que por si só reúne as condições para todos os lugares em campo. Hoje ele se destacou claramente — afirmou Bielsa após a partida contra a Bolívia.

Postecoglou aparentemente compartilha da mesma opinião do argentino, afirmando que Bentancur “começou muito bem” contra o Aston Villa. Escolhido pelo australiano para ser titular no domingo, o uruguaio ia ajudando o Tottenham a vencer por 1 a 0 em Londres, mas se lesionou ao sofrer uma entrada forte de Matty Cash e precisou ser substituído por Pierre-Emile Höjbjerg aos 32 minutos do primeiro tempo. Segundo o The Athletic, o prazo de recuperação é de dois meses e meio.

Mais um desfalque

A lesão de Rodrigo Bentancur já seria cruel por si só considerando o tempo em que o uruguaio foi baixa em 2023 por outra lesão e pela crescente que vinha apresentando em sua volta, mas é ainda pior para o Tottenham pela extensa lista de nomes atualmente no departamento médico médico. Com o uruguaio, número de desfalques por contusão chegou a nove.

Principal contratação do clube na última janela de transferências, James Maddison também se recupera de uma lesão ligamentar no tornozelo e só deve estar novamente à disposição em 2024. O zagueiro Micky van de Ven, com problemas musculares, é outro que só deve estar apto no ano que vem.

Os casos Ryan Sessegnon, Manor Solomon, Ivan Perisic são ainda mais graves. Por um problemano tendão da coxa, Sessegnon é baixa desde fevereiro e precisou passar por uma cirurgia em julho. Solomon, por sua vez, sofreu uma ruptura de menisco e não tem previsão de retorno. Já Perisic pode perder o resto da temporada devido à lesão no ligamento cruzado anterior que sofreu em setembro.

O garoto Ashley Phillips, que ainda não estreou pelo time profissional do Tottenham, é outro com problemas no tornozelo, tendo se lesionado enquanto jogava pela seleção sub-19 da Inglaterra na Data Fifa. A tendência é que sua recuperação dure em torno de um mês. O brasileiro Richarlison também deve voltar próximo do Natal de acordo com o The Athletic, por mais que recentemente tenha passado por uma cirurgia no púbis.

Além dos desfalques por lesões, o Tottenham também convive e se prepara para mais baixas por outros motivos. O zagueiro Christian Romero, por exemplo, cumprirá sua terceira e última partida de suspensão contra o Manchester City neste domingo (3), no Etihad Stadium. O argentino recebeu um cartão vermelho direto na goleada para o Chelsea três semanas atrás.

Em janeiro, os Spurs sabem que não contarão com Pape Mata Sarr e Yves Bissouma, já que ambos estarão com suas seleções na Copa Africana de Nações. O primeiro já ficou de fora da partida contra o Aston Villa por ter se machucado jogando por Senegal, mas não se sabe a gravidade do problema. Ambos vinham formando a dupla de volantes titular na equipe de Ange Postecoglou, que terá uma enorme dor de cabeça para escalar seu meio-campo no início de 2024 com a recente lesão de Bentancur.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo