Premier League

Crise do Manchester United é mais profunda do que se imagina, revelam bastidores

As polêmicas de bastidores envolvendo Erik ten Hag evidenciam que a crise do Manchester United é pior do que se imagina

A goleada de 4 a 0 sofrida pelo Newcastle na última rodada da Premier League foi mais um exemplo do tamanho do buraco que o Manchester United se encontra. Eliminados na fase de grupos da Champions League, precocemente na Copa da Liga Inglesa e apenas na 8ª posição do campeonato, os Red Devils depositam todas suas esperanças na final da Copa da Inglaterra, onde enfrentam o todo-poderoso Manchester City.

Mesmo assim, uma coisa está clara: o Manchester United está em crise. Após ser campeão da Carabao Cup e conquistar o incrível 3º lugar na última Premier League, Erik ten Hag dava indícios de que faria um 2023/24 ainda melhor com o elenco que ele mesmo montou. O problema é que as expectativas não foram correspondidas dentro de campo, e os Red Devils acumulam péssimas atuações até aqui nesta temporada.

E o que ajuda a explicar o desastre nos gramados são as polêmicas de bastidores. A PL Brasil apurou, com exclusividade, alguns fatores e episódios que impactaram diretamente o dia a dia do Manchester United. Essa relação conturbada do treinador neerlandês com os jogadores também é causada pela perda de confiança na filosofia de trabalho, além das desavenças com o grupo.

Um panorama da crise nos bastidores do Manchester United

Ten Hag e sua dificuldade de vender suas ideias

Uma fonte ligada ao vestiário do Manchester United contou como Ten Hag tem dificuldade de vender suas ideias para os atletas. O treinador tem o costume de fazer longas reuniões táticas, com duração de 30 a 40 minutos, e com uma frequência acima do normal – três ou quatro vezes na semana, o que incomoda o elenco. Essas palestras causam descontração e sonolência entre os jogadores.

Para piorar, um erro de avaliação do neerlandês minou a confiança do grupo do Manchester United. Antes de uma partida contra o Everton, no dia 9 de março, Erik ten Hag disse por horas que o adversário usariam uma marcação com linhas baixas em Old Trafford. Assim que a bola rolou, os Red Devils foram surpreendidos pelos Toffees, que fizeram uma pressão na saída de bola. Por conta disso, o time passou apuros em sua defesa.

Dalot perdeu a bola perto do gol de Onana, que salvou uma ótima chance do Everton. Evans também foi desarmado quase na própria grande área, e Varane precisou consertar o lance. No final, os Red Devils acabaram vencendo o Everton, porém, as instruções errôneas do técnico neerlandês foram um duro golpe para os atletas.

Falta de tato para lidar com o grupo

A saída conturbada de Cristiano Ronaldo, no meio de 2022/23, o desentendimento com Jadon Sancho no início da temporada, e os casos de indisciplina de Marcus Rashford evidenciam que Ten Hag não tem tato para lidar com os problemas do grupo do Manchester United. O vestiário dos Red Devils acredita que o técnico não tem experiência o suficiente para lidar com um clube dessa magnitude.

Em derrotas do Manchester United, o neerlandês deixa o clima muito pesado, segundo relatos, por meio de cobranças individuais exageradas longe das câmeras. Até mesmo os reforços indicados por Erik ten Hag não escapam das ‘duras’. O treinador também é criticado por sua falta de critério nas punições, pois outros atletas tiveram um comportamento semelhante ao de Sancho e não tiveram o mesmo tratamento, por exemplo.

Treinos do Manchester United influenciam lesões

Desde agosto de 2023, o Manchester United já teve mais de 60 problemas físicos, segundo o The Mirror. Esse alto número de lesões pode ser explicado pelos treinamentos de Ten Hag, que têm a mesma carga durante toda a temporada, apesar do cansaço ser maior na reta final. Sessões exaustivas, cancelamento de folgas e reclamações sobre as atividades de preparação são temas recorrentes nos Red Devils.

Como o Manchester United ainda não tem um diretor, o técnico neerlandês não encontra resistência interna para ser mais casca-grossa com os jogadores. Como consequência, o elenco se mostra desgastado com Ten Hag. Sir Jim Ratcliffe já prometeu mudanças bruscas nos Red Devils, mas isso não deve acontecer antes do fim de 2023/24. Resta saber se isso dará fim a crise que reina em Old Trafford.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo