Premier League

Com Salah descalibrado, poderoso ataque do Liverpool não conseguiu vencer o Stoke

O festival de gols do jogo contra a Roma, em Anfield Road, não se repetiu neste fim de semana. No mesmo estádio, mas diante do Stoke City, o Liverpool ficou no 0 a 0. Com isso, os Reds, terceiros na tabela, abrem as portas para serem ultrapassados pelo Tottenham, quartos, além de dar esperança ao Chelsea, atual quinto colocado.

LEIA TAMBÉM: Entre glórias e guerras, as vezes em que a Old Firm definiu o campeão escocês

Depois do intenso jogo de ida da semifinal da Champions League, o técnico Jürgen Klopp decidiu rodar um pouco o elenco. Dos principais jogadores, o atacante Sadio Mané foi quem ficou fora, nem sequer foi para o banco. Mas foram muitas alterações, com Klavan no lugar de Lovren, Alberto Moreno no lugar de Andrew Robertson, além do time ter entrado em campo com três zagueiros, com Joseph Gomez.

O Liverpool teve domínio da bola, terminou com 71,6% de posse, e teve 19 finalizações a gol, mas apenas dois chutes acertaram o gol. Sim, isso mesmo: o Liverpool acertou dois de 19 chutes a gol. Um desses chutes para fora foi de Mohamed Salah, artilheiro da Premier League até aqui com 31 gols. E ele perdeu a chance de aumentar a marca em um lance que Henderson o deixou na cara do gol, mas o egípcio tocou por cima do goleiro e para fora do gol. Salah, aliás, foi quem mais chutou a gol durante o jogo: sete tentativas. Todas para fora.

Danny Ings chegou a balançar as redes ainda no primeiro tempo, mas o gol foi corretamente anulado por impedimento do atacante. Dos que entraram no time, ele foi o que menos aproveitou a chance. Não teve uma boa atuação, as jogadas não fluíram e não mostrou razões para que Klopp o utilize mais vezes.

Pelo lado do Stoke, alguns jogadores se destacaram. O lateral Erik Pieters foi muito bem, ainda que arriscando demais ao agarrar os jogadores adversários, algumas vezes ficando no limite de uma falta. O zagueiro Kurt Zouma também foi muito bem, mostrando segurança ao longo da partida. No meio-campo, se destacou Joe Allen, ex-Liverpool, foi quem mais tocou na bola pelo Stoke, embora, como se viu, o Stoke tenha ficado muito pouco com a posse.

Um dos objetivos do Liverpool na temporada é terminar entre os quatro primeiros colocados e, por isso, é importante que o time some pontos, ainda mais contra times da parte de baixo da tabela. Mas esse é justamente um dos problemas que a equipe de Klopp mais sofre. A falta de consistência do time é um problema na disputa na liga. No próximo domingo, o jogo será muito mais duro: contra o Chelsea, em Stamford Bridge. A ver se será como finalista da Champions League. Como pretensão para ficar entre os quatro primeiros, o duelo com os Blues em Londres é crucial, especialmente para o Chelsea.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo