Premier League

CEO do Aston Villa lamenta o Brasil x Argentina: “É uma bagunça, qualquer executivo fica apreensivo em liberar seus jogadores”

Aston Villa tinha um acordo especial com a federação argentina e, mesmo sem atuar, seus jogadores perderão a próxima rodada da Premier League

O imbróglio ocorrido no Brasil x Argentina de domingo teve repercussões ao redor do mundo, especialmente na Inglaterra. Os clubes dos jogadores impedidos de entrar em campo se manifestaram. No Tottenham, existe a possibilidade de que Giovanni Lo Celso e Cristian Romero sejam punidos depois da confusão. Já o Aston Villa lamentou publicamente o episódio, após fazer um acordo especial com a Argentina pela liberação de Emiliano Martínez e Emiliano Buendía. Chefe-executivo dos Villans, Christian Purslow não poupou palavras para comentar a controvérsia.

A princípio, o Aston Villa não precisaria liberar seus jogadores. Porém, os atletas ameaçaram viajar mesmo sem permissão (sobretudo Emi Martínez) e o clube estabeleceu um acordo com a AFA, a federação argentina. Os dois jogadores do clube poderiam enfrentar o Brasil, no principal compromisso da Data Fifa, mas voltariam diretamente para a Inglaterra, na intenção de cumprirem a quarentena obrigatória. Ainda assim, ambos estariam indisponíveis para o compromisso dos Villans na próxima rodada da Premier League, em visita ao Chelsea. No fim das contas, o arranjo foi feito para nada e ambos seguirão indisponíveis, o que incomodou bastante Purslow.

“É uma bagunça. O que aconteceu no Brasil domingo foi uma das coisas mais incomuns que eu vi no futebol em toda a minha vida. Não entendi realmente como isso aconteceu, mas foi muito lamentável e prejudicial para o esporte, quando fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para um acordo amigável e delicado com a federação argentina para garantir que nossos jogadores pudessem disputar jogos muito importantes”, afirmou o dirigente, à BBC.

“Já temos um problema de congestionamento significativo nas datas com os jogos das Eliminatórias na América do Sul, então até outubro espero realmente ver um acordo sensato ser posto em prática, porque ninguém quer ver uma repetição do que aconteceu. Isso faz qualquer executivo de clube razoável se sentir incrivelmente apreensivo em liberar jogadores para viagens ao exterior, enquanto estamos no meio da crise”, complementou.

Martínez e Buendía voaram de volta à Inglaterra, assim como Romero e Lo Celso. Os quatro não disputarão o jogo contra a Bolívia, marcado para a próxima quinta-feira. Também estarão indisponíveis para a rodada da Premier League no final de semana. Estão marcadas mais quatro Datas Fifa até o encerramento das Eliminatórias. Serão mais duas em outubro e novembro, além de uma nova em janeiro (aproveitando a pausa de inverno da Premier League) e outra em março de 2022. Caso as restrições sanitárias permaneçam, as chances de novos imbróglios são razoáveis.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo