Premier League

Capitão da Ucrânia, Yarmolenko ficará alguns dias afastado do West Ham pela forma como a guerra o abalou

Yarmolenko pediu uma folga para lidar com a situação de seu país, impactado psicologicamente pelos riscos à sua família e compatriotas

Alguns jogadores ucranianos usaram sua visibilidade em campo para se manifestar contra a guerra no país. Roman Yaremchuk se posicionou horas antes do início dos ataques coordenados pela Rússia, enquanto Ruslan Malinovskyi exibiu sua camisa pedindo paz depois dos bombardeios. Nem todos os jogadores do país, porém, se sentem psicologicamente aptos a atuar neste momento. O West Ham ofereceu um tempo para Andriy Yarmolenko se recuperar, diante da forma como o ponta foi impacto pela escalada do conflito.

O West Ham se mostrou solícito e atendeu o pedido de Yarmolenko, que solicitou alguns dias fora do elenco para lidar com a situação. O clube também se disponibilizou para apoiar o meia e sua família naquilo que estivesse ao alcance. O técnico David Moyes conduziu a conversa com o ucraniano e relatou a maneira como ele se afetou com a guerra.

“Ele não está em uma posição muito boa no momento. Demos a ele alguns dias de folga e isso é totalmente compreensível. O clube pediu para eu conversar com ele e perguntei se tinha algo que poderíamos fazer para ajudá-lo. Ele perguntou se poderia ter alguns dias de descanso e nós certamente concederíamos. É um momento muito difícil para ele e sua família. El está muito abalado, o que você pode imaginar, e com razão. Esperamos que tudo corra bem e que os membros de sua família se mantenham seguros”, afirmou Moyes.

“Acho que o mundo inteiro está pensando e falando sobre isso, não? Estamos todos profundamente tristes com as ações e esperamos desesperadamente que não ocorram mortes, o que sabemos que já houve. Estamos realmente tristes com isso. Acabamos de sair da pandemia e a última coisa que precisamos é ter qualquer coisa que se aproxime da palavra ‘guerra’. Realmente não queremos isso”, complementou o treinador.

Yarmolenko nasceu na antiga Leningrado, atual São Petersburgo, mas filho de ucranianos. A família deixou a Rússia e retornou à cidade de Chernihiv, no norte da Ucrânia, logo depois do colapso da União Soviética. O ponta fez a sua carreira no futebol local e defendeu o Dynamo Kiev por uma década, já como profissional. Yarmolenko também é o capitão da seleção ucraniana, com 106 partidas e 44 gols. Geralmente reserva do West Ham, o atacante de 32 anos disputou 22 partidas nesta temporada, embora some mais minutos na Liga Europa e nas copas nacionais.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo