Premier League

Cantona: “Sofro com o Manchester United e sofro ainda mais vendo como o City joga”

Eric Cantona merece respeito por tudo o que construiu com a camisa do Manchester United. A história do clube mudou graças a Sir Alex Ferguson, mas a participação do francês também foi essencial para construir a dinastia na Premier League a partir dos anos 1990, renovando-se na década seguinte. E a voz do veterano deveria ter algum peso diante do que ocorre em Old Trafford. Nesta semana, ele mais uma vez escancarou seu incômodo com a maneira como o time de José Mourinho atua, usando o duelo contra a Juventus para iniciar sua crítica.

“Você pode perder jogos, mas precisa correr riscos. Você perde contra a Juventus e eles tiveram 60% de posse de bola em Old Trafford. Dá para imaginar isso com Ferguson no banco? Eu sofro com o Manchester United. E sofro ainda mais quando vejo o Manchester City jogar de maneira tão exuberante”, declarou Cantona, em discurso público durante um evento que participou em Manchester.

O velho ídolo se debruçou principalmente sobre a maneira como os jogadores do United andam subaproveitados, sem um estilo ofensivo para explorar seu potencial, apesar das muitas opções dentro do elenco: “Acho que esses rapazes precisam de um exemplo. Precisam de grandes jogadores, de grandes movimentos, de futebol criativo para se identificar como um time. E acho que eles são agora uma geração perdida de jovens atletas. Esses rapazes se identificam com a forma que o City joga, não com o United. Podemos aceitar isso? Não”.

O francês apontou como um antigo atleta dos Red Devils poderia ganhar a chance de substituir José Mourinho, introduzindo esta mentalidade: “No United, eles nunca dão a chance para um jogador que conhece o clube por dentro, que conhece a identidade e a filosofia. Eu não quero que as pessoas pensem que estou dizendo isso porque quero ser técnico do Manchester United. É apenas a verdade. Giggs poderia ser este nome? Qualquer ex-jogador que queira ser o técnico deveria receber uma chance. Vimos Zidane, que jogou no Real Madrid e nunca treinou um clube antes, assumindo o comando. Eles deram a ele uma oportunidade. Guardiola viveu o mesmo no Barcelona, Conte na Juventus”.

Por fim, Cantona falou sobre a idolatria que ainda desfruta em Manchester: “Por que vocês me amam? Eu realmente não quero saber o porquê. Eu não quero saber por que minha esposa me ama. Não quero saber por que eu a amo. Porque quando você tenta entender e quando sabe o motivo, tudo acabou”.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo