Premier League

Brighton complica Liverpool e, graças a gol de pênalti nos acréscimos, arranca empate

A estratégia do Brighton deu certo e o time tirou pontos do Liverpool no American Express Community Stadium. Ao longo do jogo, o time comandado por Graham Potter teve chances de marcar, desperdiçou, e parecia que perderia o jogo. Os Reds tiveram dois gols anulados pelo VAR, corretamente, diga-se. No fim, o VAR acabou sendo crucial para a marcação de um pênalti, que definiu o jogo em 1 a 1. Apesar de ter sofrido o empate só no final, o Brighton fez por onde, tentou e complicou a vida dos atuais campeões.

LEIA TAMBÉM: John Barnes, exclusivo à Trivela: “Não podemos acabar com o racismo no futebol enquanto ele existir na sociedade”

Jürgen Klopp levou a campo um time levemente modificado. Neco Williams foi lateral direito, porque Joe Gomez, zagueiro que pode atuar por ali, e o titular, Trent Alexander-Arnold, estavam fora, machucados. Além disso, levou a campo Takumi Minamino, além de Diogo Jota como titular no ataque.

Aos nove minutos, o Brighton conseguiu enfim atacar e levou bastante perigo ao gol de Alisson. Maupay passou da linha do meio-campo e fez um belo passe para Aaron Connolly. Na cara do gol, o atacante tocou para fora e desperdiçou a chance de abrir a conta.

O Liverpool ficava mais com a bola, também tentava mais o gol, mas sem criar nenhuma chance. Por isso, foi o Brighton que assustou mais uma vez. Aos 19 minutos, um lance desastrado de Neco Williams em Conolly e o árbitro Stuart Attwell não teve dúvidas: apontou a marca da cal e marcou o pênalti. Neal Maupay cobrou, tirou de Alisson e também do gol, mandando para fora. O placar continuaria zerado no American Express Community Stadium.

Pouco depois, aos 25 minutos, Neal Maupay sentiu lesão e precisou ser substituído. Entrou Leandro Trossard no seu lugar. Aos 33 minutos, Roberto Firmino recebeu um lançamento longo de Alisson e lançou Mohamed Salah, nas costas da defesa. O egípcio avançou e tocou de pé direito para o fundo da rede. Só que o VAR entrou em ação e mostrou impedimento do atacante do Liverpool. Gol anulado.

Para o segundo tempo, Jürgen Klopp fez alterações no time. Tirou de campo Neco Williams e colocou Jordan Henderson, que entrou para ser zagueiro ao lado de Fabinho. Dois meio-campistas no centro da zaga dos Reds.

O começo do segundo tempo trouxe um gol, que já mudou o jogo. Salah desceu pela esquerda e achou Diogo Jota, que aproveitou a vacilada da zaga para marcá-lo para chutar cruzado, no cantinho, e marcou 1 a 0, aos 15 minutos.

O técnico Graham Potter mudou o time em seguida. Tirou o atacante Connolly e colocou o meia Adam Lallana, ex-Liverpool. O jogador ficaria poucos minutos em campo. Sete minutou depois, foi substituído por Alireza Jahabakhsh. Ele, que era dúvida, acabou não aguentando ficar em campo. Com isso, duas das três alterações possíveis do Brighton foram por lesões.

Klopp mudou o time aos 19 minutos. Tirou Salah, que não saiu feliz, e colocou em campo Sadio Mané, que estava sendo poupado. Depois de 10 minutos, aos 29, teve que fazer outra mudança: James Milner, machucado, deixou o gramado para a entrada de Curtis Jones, que é meio-campista, mas foi improvisado na lateral direita.

Aos 38 minutos, Robertson cobrou falta na cabeça de Sadio Mané, que cumprimentou de cabeça e saiu para o abraço. Apesar da comemoração, logo o VAR interveio, mais uma vez, e mostrou que o atacante senegalês estava impedido. Gol anulado, mais uma vez.

O lance mais importante do jogo viria nos acréscimos. Welbeck tocou na bola dentro da ára antes de Robertson, que chutou a perna do atacante do Brighton. O árbitro não marcou nada, mas o VAR o chamou. Depois de assistir ao lance na tela ao lado do campo, Stuart Attwell ficou convencido: pênalti para o time da casa. Na cobrança, Pascal Gross marcou e empatou o jogo em 1 a 1.

Klopp ficou inconformado. Aplaudiu, ironicamente, a arbitragem. Com tudo isso, os cinco minutos anunciados pelo árbitro como acréscimo da partida foram aumentados em mais dois. E nesse meio tempo, foi o Brighton que chegou ao ataque e quase conseguiu o gol. Foi um escanteio, que acabou não dando nada.

Apesar do empate levar o Liverpool ao topo da tabela, temporariamente, os Reds saíram de campo sem ter o que comemorar. A atuação não foi boa, o resultado também não, e Klopp tem trabaljo pela frente para fazer a equipe render um pouco mais. O Brighton, por sua vez, consegue um ponto importantíssimo na briga contra o rebaixamento. É possível que o time ainda acabe a rodada entre os três últimos, mas somar um ponto contra o campeão é um bom resultado.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo