Premier League

Aston Villa quebra recorde e traz uma nova peça ao ataque: Watkins, artilheiro da Championship

O Aston Villa fez um mercado de muitos gastos em sua temporada de retorno à Premier League e, apesar dos riscos sofridos, cumpriu o seu objetivo de seguir na primeira divisão. Os próximos passos dos Villans se concentram em melhorar as possibilidades do elenco e dar alternativas ao time, tão dependente de Jack Grealish em sua campanha de salvação. Por isso mesmo, a diretoria quebrou a banca mais uma vez e anunciou o reforço mais caro de sua história nesta quarta-feira: Ollie Watkins, artilheiro da última Championship com a camisa do Brentford. O centroavante de 24 anos custou €30,8 milhões. Cotado pelo Tottenham, preferiu se reunir outra vez com Dean Smith, seu treinador nas Abelhas até 2018.

O ataque foi justamente um setor com grandes gastos do Aston Villa em 2019/20. E não dá para dizer que surgiu uma solução inquestionável no Villa Park para o comando da linha de frente. Wesley chegou como a contratação mais cara até então, mas seus números foram tímidos de início e depois o brasileiro se lesionou gravemente. Na janela de transferências de inverno, então, os Villans foram buscar Mbwana Samatta no Genk e o tanzaniano não emplacou. Borja Bastón veio no mesmo período e mal ficou em Birmingham.

O Aston Villa conta com a volta de Scott Hogan, que foi bem durante seu empréstimo ao rival Birmingham. De qualquer maneira, esperava-se um nome de mais impacto e ele chega com Watkins. O atacante surgiu no Exeter City e, da quarta divisão, acabou levado pelo Brentford na Championship. Foram três temporadas consecutivas com ao menos dez gols marcados, embora o grande rendimento tenha acontecido ao longo do último ano. Somou 25 tentos em 46 aparições pelas Abelhas na segundona 2019/20, além de mais um gol nos playoffs de acesso – igualando a marca de Aleksandar Mitrovic na artilharia na competição. Mostrou ter bola para um salto e vai à Premier League trocando de clube. Já o Brentford havia assegurado Ivan Toney, artilheiro da última League One pelo Peterborough.

Watkins ressaltou o papel que Dean Smith exerceu em sua mudança: “Estou muito feliz, é um clube enorme. Dean me convenceu, realmente. Estou definitivamente animado por voltar a trabalhar com Dean, ansioso por isso. Ele teve grande importância em minha escolha e, assim que soube da oferta, disse ao meu empresário que gostaria de acertar o mais rápido possível. Dean me deu muita confiança no Brentford. Espero que possamos fazer o mesmo aqui no Aston Villa. Mal posso esperar para vestir essa camisa na Premier League. Quero fazer algo especial e marcar muitos gols”.

Watkins pode atuar como centroavante ou ponta, o que não impede sua combinação com Wesley e Samatta. Não é um jogador tão físico quanto seus companheiros, contribuindo também por sua capacidade de se desmarcar além da presença de área. E tem mais cartas na manga, pela maneira como ataca em diagonal ou puxa os contragolpes, bem como é elogiado por sua atitude e por seu empenho dentro de campo. Agora terá que se provar num nível de exigência acima do que está acostumado, mas o bom ano com o Brentford anima.

Esta é a segunda contratação do Aston Villa para a nova temporada. O clube não teve perdas significativas além do fim do empréstimo de Pepe Reina e voltou seu radar à Championship. Além de Watkins, o outro reforço é o lateral direito Matty Cash, um dos destaques do Nottingham Forest na segundona. O jovem de 23 anos chega por €15,8 milhões e será mais um para tentar se provar num nível mais alto. Além disso, os Villans negociam com Saïd Benrahma, outro destaque do Brentford na segunda divisão, e com o goleiro Emiliano Martínez, que espera uma definição quanto às suas chances no Arsenal.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo