Premier League

Agüero se despede da torcida do Manchester City como de costume: fazendo gols e com taça

No seu último jogo com a camisa do City, Agüero mostrou a categoria que o levou a marcar tantos gols, conquistar a torcida e sair como maior jogador da história do clube

Sergio Agüero se despediu da torcida do Manchester City neste domingo, na última rodada da Premier League. O camisa 10 fez isso da maneira como se acostumou nestes 10 anos defendendo o clube: fazendo gols. Contra o Everton, o Manchester City atropelou, venceu por 5 a 0 e contou com dois gols do argentino, que veio do banco de reservas. Além, claro, de ter sido homenageado e adorado por milhares de torcedores, que voltaram ao estádio, ainda que parcialmente.

Agüero deixará o Manchester City depois de 10 temporadas. O Manchester City decidiu não renovar o contrato do atacante, colocando fim em uma história incrível. Aos 32 anos, prestes a fazer 33 em junho, tudo indica que o argentino irá para o Barcelona. Se Lionel Messi ficar no clube (e a ida de Agüero é um bom argumento para isso), eles formarão uma dupla que fez sucesso na Olimpíada de 2008, quando a Argentina conquistou a medalha de ouro.

O Everton ainda lutava para chegar a uma competição europeia, mas esse objetivo morreu rapidamente. Logo aos 11 minutos, Kevin De Bruyne marcou 1 a 0, em um belo chute de fora da área. Aos 14, Gabriel Jesus fez uma jogada individual, bonita, e chutou colocado para marcar 2 a 0. No final do primeiro tempo, aos 35 minutos, pênalti para o Everton em cima de Richarlison. Gylfi Sigurdsson cobrou, mas Ederson defendeu. Foi o placar do intervalo.

No começo do segundo tempo, foi a vez de Phil Foden marcar o seu e ampliar o placar para 3 a 0. O Everton desistiu do jogo. Reduziu o ritmo e deixou que o City fizesse a festa. A começar aos 20 minutos, quando o técnico Pep Guardiola colocou em campo Sergio Agüero. Era a sua última aparição no estádio onde se acostumou a brilhar, o Etihad. Ele substituiu Riyad Mahrez.

Como não poderia deixar de ser, Agüero deixou a sua marca. Aos 26 minutos, o argentino recebeu de Fernandinho, deu um drible desconcertante em Mason Holgate, e tocou com uma categoria peculiar para o fundo da rede. Golaço e 4 a 0 no placar.

Daria tempo de mais um. Desta vez, Fernandinho cruzou da direita para a área e Sergio Agüero tocou de cabeça para o fundo da rede. Fechou uma história vitoriosa no estádio, cheia de momentos marcantes e de celebrações que serão eternas, como toda lenda. Ainda há um jogo pela frente, a final da Champions League, mas este será no Estádio do Dragão, no Porto, bem longe da Inglaterra.

Contratado em 2011 pelo Manchester City por £ 36 milhões (em valores corrigidos £ 44,8 milhões), Agüero criou uma história de muito sucesso e taças. Chegou neste domingo a 389 jogos, com 260 gols, além de 73 assistências. Um monstro em campo, com desempenho do mais alto nível. Foi artilheiro do Campeonato Inglês em 2014/15.

Isso tudo sem falar de taças. São cinco títulos de Premier League, uma Copa da Inglaterra, seis Copas da Liga e três Supercopas da Inglaterra. E ainda tentará melhorar os números, de gols e de taças, no próximo sábado, dia 29, quando o Manchester City entrará em campo para enfrentar o Chelsea na final da Champions League. O último ato de Agüero com a camisa dos azuis celestes pode ser com o maior título da história do clube. Algo espetacular.

Seja como for, a história que Agüero escreveu no Manchester City é de um ídolo. Não por acaso, a torcida gritou tanto “Sergio, Sergio, Sergio” para ele durante o jogo. Ele alcançou marcas que são difíceis de serem repetidas. Todo torcedor do Manchester City sabe o tamanho que ele tem na história. Jamais se esquecerá daquele domingo, 13 de maio de 2012, quando Agüero fez o gol do milagre que deu o título inglês aos azuis celestes.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo