Inglaterra

“O West Brom trouxe Pete de volta”: O torcedor que se recuperou da COVID-19 com o apoio de seu clube do coração

Esposa de um torcedor fanático pelo West Bromwich, Teresa George fez uma súplica ao clube durante as últimas semanas: ela queria uma mensagem do técnico Slaven Bilic e de alguns jogadores históricos ao seu marido. Lutando contra o coronavírus, Peter George estava internado em tratamento intensivo desde março e, em coma, havia sido desenganado pelos médicos. Os primeiros sinais de melhora vieram quando o inglês começou a ouvir músicas tradicionais do clube. Então, os Baggies atenderam à solicitação e passaram a gravar vídeos de ídolos a Peter. Aos poucos, o torcedor de 65 anos começou a se recuperar e, nos últimos dias, ganhou alta do hospital, voltando para casa. A família, agradecida, credita o milagre ao próprio apoio dedicado pelo clube.

Peter começou a se sentir mal no início de março, após ir a um jogo do West Brom, mas só foi diagnosticado com o coronavírus posteriormente. Em 21 de março, o torcedor precisou ser internado na UTI e, com o estado de saúde cada vez mais delicado, entrou em coma uma semana depois. Segundo Teresa, os médicos já tinham declarado à família que dificilmente o idoso se salvaria. Suas chances de recuperação eram de 30%, após seus órgãos começarem a falhar e também por desenvolver uma trombose venosa profunda. Apesar do temor, foi neste momento que a esposa teve a ideia de tocar músicas tradicionais do West Brom ao marido. Teresa queria estimulá-lo de alguma outra forma durante as videochamadas regulares que a família fazia, possibilitadas pela equipe médica do hospital.

“Ele estava muito mal, quase o perdemos. Uma vez Peter me disse que, quando ouvia a música tocada pelo Albion na entrada dos jogadores em campo, ele sentia todo o seu corpo acender, porque se animava para ver o jogo. Pedi ao meu filho para que tocasse a canção… então, Pete se mexeu”, declarou Teresa, em entrevista à BBC. “Ele sempre ficava maluco com o clube e pensei: ‘A música! A música do Albion!’. Um amigo que é DJ fez uma compilação e Peter começou a se mexer. Foram os primeiros sinais de vida que vimos desde que ele entrou em coma”, complementou a esposa, ao Express and Star.

A canção mencionada é ‘The Liquidator’, que também embala a entrada em campo de outros clubes, como o Chelsea. Conforme a esposa, Peter começou a mexer suas pernas com mais intensidade ao ouvir ‘Football’s Coming Home’ – música simbólica da seleção inglesa e que virou hit durante a última Copa do Mundo.

Pouco depois, chegaram as mensagens do técnico Slaven Bilic e dos jogadores do West Brom. Peter respondia com mais intensidade. “As enfermeiras tiveram que contê-lo, porque estava mexendo seus braços. Acho que ele pensou que estava em uma partida de futebol”, contou Teresa. Em seu vídeo, Bilic dizia que o time “precisava de Peter de volta ao estádio”. Além do treinador, os primeiros ídolos que mandaram mensagens foram Chris Brunt (atual capitão e um dos símbolos do clube desde a última década) e de Bob Taylor (artilheiro da equipe nos anos 1990) – justamente os atletas favoritos do fanático.

Peter George acordou do coma nos dias seguintes, mas estava tão fraco que precisou ser induzido de volta ao estado. Neste momento, o envolvimento do West Brom com o torcedor era maior e Geoff Snape, presidente da associação de ex-jogadores, passou a ligar todos os dias ao fanático, com novas mensagens de diferentes ídolos dos Baggies – em projeto que mantém contato também com outros torcedores idosos hospitalizados. Diante do esforço contínuo, as condições de Peter melhoraram gradualmente. Em 13 de abril, ele pôde sair da respiração artificial e os exames apontaram que o paciente estava recuperado do coronavírus.

“Acredito que esse apoio do clube trouxe Pete de volta. Ele estava em um lugar de onde não sabia como voltar e essas mensagens deram forças a ele. Peter ainda não acredita que seus ídolos entraram em contato. Não podemos agradecer o suficiente. É por coisas assim que o West Brom é especial. Um clube especial, que produz jogadores especiais. Todos eles disseram a mesma coisa: que receberam um apoio fantástico quando estavam no clube e queriam devolver isso a Pete. Não fizeram isso por visibilidade ou por dinheiro, mas por causa do amor genuíno dos torcedores”, comentou a esposa.

Peter deixou o hospital durante os últimos dias e agora está em casa, se recuperando por completo. “Eu tenho meu homem de volta por inteiro. Um pouco fraco, mas inteiro. O que o West Brom fez foi incrível. Eles são uma família e somos parte dela. Eles fizeram com que nos sentíssemos assim”, concluiu a esposa. “Nunca poderei agradecer o suficiente o que fizeram por minha família. Palavras não podem expressar como nos sentimos. Sempre amei o Albion, mas eles me provaram por que sou uma torcedora tão orgulhosa dos Baggies. Dedicarem tanto tempo para nos apoiar foi incrível. Minha família nunca conseguirá retribuir”.

Já em sua casa, Peter voltou a vestir a camisa do West Brom para agradecer a todos que o ajudaram, inclusive as equipes médicas nos hospitais. “Os funcionários do NHS (o sistema de saúde público) foram incríveis. Não me lembro de muito do que aconteceu e isso às vezes é um pouco nebuloso, mas o cuidado que recebi me deixa orgulhoso de nossos enfermeiros e equipes médicas. Eles são brilhantes, devo tudo a eles. Não acredito que muitos de meus heróis do West Brom enfrentaram essa luta por mim. Mas tenho as mensagens para guardar pelo resto da vida. Agora, mal posso esperar para voltar a The Hawthorns e ver os rapazes entrando em campo. Nenhum de nós sabe quando será – mas eu estarei lá”, afirmou o torcedor, ao site do clube. Vê-lo nas arquibancadas certamente é o desejo de qualquer um no West Brom.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo