InglaterraPremier League

O adeus de Ferguson, o ponto final de uma lenda do futebol

Uma hora ou outra, o adeus de Sir Alex Ferguson iria acontecer. A cada temporada, a discussão sobre a aposentadoria do escocês era postergada. Nos últimos meses, o treinador havia prometido não deixar o Manchester United tão cedo. Mas, de supetão, Fergie resolveu pendurar a prancheta, depois de 26 anos e seis meses de serviços prestados em Old Trafford. Coincidência ou não, sua última partida oficial será exatamente a de número 1500 à frente dos Red Devils.

“A decisão de me aposentar foi pensada por muito tempo e não de uma hora para outra. É o momento certo. É importante para mim deixar uma organização o mais forte possível e acredito ter feito isso. A qualidade desse elenco campeão e o equilíbrio de idades é um bom sinal para um sucesso contínuo, enquanto a estrutura da base irá assegurar que o futuro a longo-prazo seja brilhante”, afirmou o técnico, na despedida.

Assim como já tinha adiantado no começo de março, Ferguson se tornará diretor do United. Não largará as funções de uma vez e se manterá próximo do cotidiano do clube, pronto para auxiliar seu processo de sucessão. Centralizador como de costume, transferirá o poder gradualmente, evitando um impacto maior em sua saída. A ótima temporada da equipe também foi preponderante para dar segurança ao veterano.

“Gostaria de agradecer aos meus jogadores e funcionários do passado e do presente, por manterem níveis de profissionalismo e dedicação impressionantes, que ajudaram a conquistar tantos triunfos memoráveis. Sem essa contribuição, a história do clube não seria tão rica. Aos torcedores, muito obrigado. O apoio que têm prestado ao longo dos anos tem sido realmente um orgulho. Foi uma honra e um enorme privilégio liderar o clube, engrandeci minha vida como treinador do Manchester United”, finalizou.

Pela transformação vivida pelo United desde 1986, é difícil encontrar um torcedor que não tenha um sentimento de gratidão ainda maior por Ferguson. Mais que garantir uma sala de troféus cheia, o escocês tornou os Red Devils em uma potência internacional. Superou até mesmo os números de Sir Matt Busby, uma lenda no clube não apenas pelo que conquistou, mas também pelas dificuldades que enfrentou.

Ferguson deixa o United como o 11º técnico com mais tempo à frente de um clube na Inglaterra – o único a ter chegado ao cargo depois de 1919. Ao mesmo tempo em que dirigia os Red Devils, viu 1191 treinadores serem demitidos nas quatro primeiras divisões do futebol inglês. Um comandante à moda antiga, mas com uma visão de planejamento gigantesa. Não fosse assim, o United não teria chegado aonde chegou. E não sentiria tanto pelo ponto final da maior das lendas de sua história.

O United antes e depois de Ferguson

Títulos: 23 // 38
Média de títulos: um a cada 4 anos, 4 meses e 6 dias // um a cada 8 meses e 14 dias
Conquistas continentais: 1 // 4
Títulos da liga inglesa: 7 // 13
Porcentagem de vitórias do clube: 44,6% // 59,68%
Porcentagem de vitórias em competições internacionais: 49,4% // 54,46%
Porcentagem de vitórias em clássicos contra o Man City: 41,6% // 62,4%
Porcentagem de vitórias em clássicos contra o Liverpool: 38,8% // 55,1%
Média de gols marcados (gols/jogo): 1,71 // 1,84
Média de gols sofridos (gols/jogo): 1,37 // 0,91

A estátua de Ferguson em Old Trafford
A estátua de Ferguson em Old Trafford
Outros números de Ferguson no Man Utd

Jogos: 1.498
Vitórias, empates e derrotas: 894 V, 337 E e 267 D
Gols marcados e gols sofridos: 2.762 a favor e 1.359 contra
Maior vitória: 9 a 0 no Ipswich Town (04/03/95)
Maior derrota: 6 a 1 para o Manchester City (23/10/11)
Adversário mais comum: Chelsea, 72 vezes (25 V 25E 22D)
Maior público em casa: 76.098 torcedores, contra o Blackburn (31/03/07)
Maior sequência invicta: 45 jogos, entre 26/12/98 e 03/10/99
Jogador com mais partidas: Ryan Giggs, com 939 partidas
Número de jogadores que estrearam sob seu comando: 188
Número de jogadores que atuaram sob seu comando: 209
Nacionalidades diferentes de atletas: 35
Maior artilheiro: Wayne Rooney, com 197 gols
Jogador com melhor média de gols: Ruud Van Nistelrooy, com 0,68 gols/jogo
Jogador mais caro já comprado: Dimitar Berbatov, por 30,75 milhões de libras em 08/09
Jogador mais caro já vendido: Cristiano Ronaldo, por 80 milhões de libras em 09/10
Número total de assistentes: 8
Assistente por mais tempo no cargo: Brian Kidd, entre 1991 e 1998
Número de capitães: 6
Capitão com mais títulos: Roy Keane, com nove, entre 1997 e 2005
Prêmios de individuais recebidos como técnico: 68
Prêmios de técnico do ano na Premier League: 10
Condecorações recebidas da coroa britânica: 3
Trocas de técnicos na Football League nos últimos 26,5 anos: 1191

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo