InglaterraPremier League

No vermelho: Dívidas do Liverpool aumentam em € 26 milhões

Vivendo uma temporada irregular em campo, o Liverpool também não apresenta bons resultados fora dele. Os Reds divulgaram nesta segunda-feira seu balanço financeiro da temporada 2011/12, com um prejuízo de € 48 milhões. Apesar do aumento das receitas comerciais, as dívidas também cresceram, chegando a € 105 milhões.

Diretor de gerenciamento, Ian Ayre afirmou que não é preciso criar alarmismo diante dos números negativos. O dirigente indicou que a situação é ocasional, explicada pelos gastos feitos enquanto algumas das principais fontes de renda ainda não tinham entrado nos cofres do clube.

“Não é definitivamente algo no qual eu acredite que as pessoas precisem ficar preocupadas. É por temporada – nosso débito aumenta e diminui. Temos dinheiro para pagar e dinheiro entrando, como em qualquer outro negócio. A diferença é que no futebol alguns negócios são significativos. Precisávamos fazer investimentos em transferências antes que nossas principais receitas entrassem: grandes cheques de patrocínio, grandes lucros com ingressos, todas as receitas de mídia”, declarou o diretor.

Além disso, Ayre também comentou a política de contratações dos Reds: “Nós tivemos uma grande carga nas contas de jogadores que tiveram seus valores depreciados, que talvez vieram por valores mais elevados do que deveriam custar. Tivemos perdas ao vendê-los, mas ao mesmo tempo temos reduzido salários”.

Nesta temporada, o Liverpool gastou € 67,6 milhões nas contratações de Joe Allen, Daniel Sturridge, Philippe Coutinho, Samed Yesil, Fabio Borini, Oussama Assaidi e Nuri Sahin. Por outro lado, o clube ganhou € 9,2 milhões com a venda de 11 jogadores – que, em compensação, tinham custado € 46,4 milhões quando foram levados a Anfield.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo