InglaterraPremier League

Mourinho quer a Premier League e o Manchester United deveria escolher o português

José Mourinho é um dos maiores nomes entre os técnicos de futebol no mundo. Não por acaso, teve um livro com sua biografia lançado com o nome “Mourinho Rockstar” (lançado no Brasil, em português, pela Editora Grande Área). É um personagem controverso e vencedor. Demitido do Chelsea em dezembro, o técnico é especulado em diversos clubes. Foi na Roma, no Real Madrid e, principalmente,no Manchester United. E em sua primeira entrevista desde que recebeu o bilhete azul de Roman Abramovich, o português deixou claro que prefere ficar na Inglaterra.

LEIA TAMBÉM: Jogador por jogador, como o Leicester montou o time que surpreende na Premier League

“Quando meus filhos eram jovens, nós podíamos mudar e viver a experiência em diferentes países e, no meu caso, diferentes clubes e um futebol diferente, mas há um momento que eles precisam de alguma estabilidade”, disse Mourinho, em entrevista à revista GQ.

“Eles têm 19 e 16 anos, e com universidade e futebol deles, precisam de estabilidade e a família precisa de estabilidade. Nós decidimos vir para Londres e, no momento, eu não tenho um emprego. Eu não sei onde o futebol irá me levar porque no futebol você nunca sabe, mas, com certeza, como família, nosso lar será em Londres”, contou o treinador.

A especulação de que poderia voltar à Espanha parece não mais do que isso: especulação. Para Mourinho, a liga espanhola não é tão competitiva como ele espera. “Eu sempre digo que eu preciso de competição e eu preciso de competição toda semana. Na Espanha, eu estava em um clube incrível, mas eu tinha quatro partidas no ano: Barcelona x Real Madrid, Real Madrid x Barcelona e depois que vencíamos por 4 a 0, 5 a 0, 4 a 1, 6 a 1”, disse Mourinho.

“Era difícil ser campeão porque dois monstros estão juntos, mas era fácil vencer partidas. Difícil ganhar a liga porque você compete contra outro time que também vence, vence e venceu como você faz, então, no final, eu fui campeão na Espanha com 100 pontos e eu perdi uma liga na Espanha com 91 pontos”, continuou o ex-técnico do Chelsea. “Na Inglaterra, você pode vencer a liga com 75 pontos, talvez menos, então eu precisava de competição”.

O método Mourinho: conflito

Uma das razões faladas sobre a saída de Mourinho do Chelsea é que ele perdeu o vestiário. Antes da sua demissão, quando o time já ia muito mal das pernas, jornais noticiaram que jogadores, sem se identificarem, disseram que preferiam perder do que vencer por Mourinho. Na entrevista, ele falou sobre o seu método de trabalho, depois de ganhar o título e o desafio de tirar o time da zona de conforto.

“Se você está em um clube que vence, se você quer vencer de novo, você precisa criar instabilidade nos vencedores”, disse o técnico de 53 anos. “Para fazer isso, você precisa fazer com que eles duvidem, precisa comprar novos jogadores, tem que tirá-los da zona de conforto, porque se você vence, a tendência normal é ir para a zona de conforto”, explicou o treinador.

Mourinho e Manchester United precisam um do outro

Mourinho não se mostrou preocupado com o tempo sem trabalhar. Ele diz que está perto de voltar. “Como técnico, eu trabalhei desde o ano 2000 e a última vez que parei foi quando eu deixei o Chelsea em 2007. Eu parei por alguns meses e agora pela segunda vez eu parei em 15 ou 16 anos, então não tem nenhum drama, mas com certeza, eu voltarei logo. Como profissional, estou pronto para seguir”, disse ainda o português.

A melhor opção para Mourinho é o Manchester United, o clube grande que ficará sem técnico na próxima temporada e no qual ele pode trabalhar – o Chelsea também ficará sem, mas evidentemente ele não voltará a Samtford Bridge. A opção também é muito boa para o Manchester United. Os Red Devils vivem uma temporada ruim sob o comando de Van Gaal, com um elenco que deveria render melhor.

Mourinho é um técnico que costuma fazer com que os seus times trabalhem muito bem coletivamente, algo que falta ao United atual. Isso sem falar no tão falado sonho de Mourinho em ser o sucesso de Ferguson. Até aqui, nem David Moyes, o escolhido inicialmente, nem Van Gaal, o sucessor, tiveram sucesso.

Um dos problemas de Mourinho é parecido com Van Gaal: o conflito. Como ele mesmo disse, depois de sucesso, ele cria ainda mais conflitos dentro do elenco para mexer com os jogadores. Até por isso, técnicos como ele costumam ficar no máximo três anos nos clubes. O desgaste depois disso começa a ser grande demais. Mas isso, para o Manchester United, é o suficiente.

Ryan Giggs é visto como o futuro técnico do time, é atual assistente técnico e desde a época de Ferguson vem sendo preparado. Com Mourinho, teria mais uma boa experiência com um técnico de ponta. Ao final de um ciclo de dois ou três anos, estaria preparado para assumir de vez o time e ficar a longo prazo.

Mourinho é o nome que o Manchester United deveria fechar já, mesmo que seja para o final da temporada. Será necessário alguém que possa conduzir o time ao mais alto nível possível e também que possa competir com Pep Guardiola, anunciado pelo Manchester City. Para os torcedores, seria uma forma de dar uma resposta à altura do rival de cidade. Para os fãs de futebol ao redor do mundo, seria espetacular ter Guardiola e Mourinho treinando dois times fortes na mesma cidade. Ao menos, a rivalidade ficaria ainda mais acirrada e os jogos ainda mais interessantes.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo