Inglaterra

Como é por dentro da maior loja de camisas de futebol do mundo

Loja Classic Football Shirts tem coleção com mais de 1,2 milhão de camisas antigas (principalmente) e atuais à venda

No centro de uma das paredes, em posição de destaque, repousa uma camisa 10 da França de 1998 enquadrada com o autógrafo de Zinedine Zidane e à venda por 1,5 mil libras (aproximadamente R$ 9,4 mil). Ao lado dela, o laranja inconfundível do uniforme da Costa do Marfim leva a assinatura de Didier Drogba e é vendido por “apenas” 350 libras (pouco mais de R$ 2,2 mil). As duas peças dividem espaço com uma camisa do Manchester United autografada por Cristiano Ronaldo, disponível pela bagatela de 1,3 mil libras (cerca de R$ 9,2 mil). Pode até parecer um museu. Mas estas são apenas algumas das relíquias da coleção da Classic Football Shirts, a maior loja de camisas de futebol do mundo.

A reportagem da Trivela passou algumas boas horas entre um treino e outro da Seleção em Londres para conhecer a filial da capital inglesa da loja. Ao passar em frente a um prédio comercial na Commercial Street (com o perdão da redundância), a fachada com o letreiro ‘Classic Football Shirt' até não chama atenção, em meio ao cinza característico da zona leste da cidade. Mas a profusão de cores, modelos e estampas por trás da vitrine é um convite irrecusável a quem gosta de futebol.

São duas mil camisas à venda apenas naquela loja, outras milhares na matriz, em Manchester… E ainda é pouco perto do tamanho da coleção disponibilizada para venda pela internet. A Classic Football Shirt tem uma coleção de cerca de 1,2 milhão de camisas de futebol. São peças de diferentes ligas, países, décadas, clubes, fornecedor de material esportivo e por aí vai. Desde relíquias, camisas usadas em campo a artigos mais acessíveis e não tão raros assim.

Brasil em destaque na loja

A loja recebe novos carregamentos de camisas quase diariamente. A experiência de visitar o local nunca é a mesma do dia anterior. Na data da visita da Trivela, por coincidência, duas camisas de Palmeiras e Flamengo dividiam um espaço nobre na parede próxima ao espaço das “lendas” Cristiano Ronaldo, Sheringham, Bergkamp, Iniesta e… Pazzini (um tanto deslocado nesta constelação, sejamos sinceros).

Havia também uma camisa do Brasil vestida apenas durante os Jogos Olímpicos de 1992, em Barcelona, outra do Inter de 2022, assim como uma azul-celeste do Grêmio com o nome de Barcos, de 2015. Mas o ponto alto na opinião deste repórter era uma camisa do Santa Cruz dos anos 90.

O fato é que basta entrar na loja para se sentir um pouco como em um museu e outro pouco como um garimpeiro. As exclamações surpresas dos clientes a cada descoberta dividiam a trilha sonora com a música ambiente. Cada clube do “Big Six” tem uma arara exclusiva com peças de diversas décadas. Há outra seção apenas para as demais equipes inglesas e outra para clubes de todo o mundo.

Aí vai um aviso para quem pretende adquirir alguma camisa: prepare o bolso. Há algumas peças à venda por 35 libras (aproximadamente R$ 225). Mas em média, nenhuma camisa sai por menos de 100 libras (mais de R$ 600). Mas você também pode aproveitar a visita para tomar um café ou um pint no bar anexo à loja, e, quem sabe, até jogar algum game na seção de jogos clássicos.

Camisa da França de 1998 de Zidane é vendida por quase R$ 10 mil (Foto: Eduardo Deconto)

Como a loja se protege da falsificação?

Cada uma das valiosas peças penduradas nos cabides passa por um longo caminho até ser disponibilizada para venda seja nas lojas físicas, ou no site da marca. O rigor com a autenticidade e com a qualidade das camisetas é um dos pilares que fizeram a Classic Football Shirts se estabelecer no mercado e conquistar a confiança dos muitos compradores de camisas.

– Eu trabalho aqui há dois anos e nunca vi uma camisa fake – conta um dos funcionários.

Tudo começa com a equipe de compradores, com tentáculos em diversas regiões do mundo para adquirir as camisas – sejam elas raridades, ou peças mais populares. Eles trabalham como verdadeiros “garimpeiros” para encontrar os uniformes e já fazem uma primeira avaliação para evitar a compra de réplicas ou falsificações.

Assim que o carregamento chega ao depósito da marca, o time de autenticação entra em cena para avaliar se as peças são de fato originais. A partir daí, as camisas são liberadas para o que eles chamam de departamento de qualidade. Ali, elas são higienizadas e passam por pequenos reparos, se necessário. É a última etapa. A partir daí, as camisetas são liberadas para venda. Isso, se algum dos vendedores não comprá-la antes.

E tudo começou com dois colegas de universidade

Muito antes de virar a maior loja de camisas de futebol do mundo, a Classic Football Shirts começou com dois colegas de universidade, Doug e Matt às vésperas da Copa do Mundo de 2006. Os dois sempre foram apaixonados por camisetas antigas de futebol e tentavam encontrar uma da Alemanha da Copa de 1990. Foi quando perceberam que havia uma grande lacuna no mercado para torcedores nostálgicos.

Contrariando muitos conselhos de amigos e familiares, os dois resolveram garimpar camisas e encher seus apartamentos de mercadoria para fundar o que era a primeira versão da loja na internet. O sonho deles era apenas fundar um espaço em que as pessoas pudessem comprar e vender camisetas antigas. E o resto é história.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo