Inglaterra

Luke Shaw: “Você precisa acreditar na sua capacidade de jogar no mais alto nível. Sinto que tenho isso agora”

Quando o Manchester United confirmou a contratação de Alex Telles, a sensação era que Luke Shaw tinha perdido de vez a sua chance no clube. O brasileiro chegou badalado do Porto e pronto para ser o dono da posição. Veio a contaminação do jogador brasileiro, que o afastou do time, e veio de novo Shaw como titular. Desta vez, ele aproveitou, melhorou as suas atuações e, mesmo com a volta do novo contratado, tornou-se o titular indiscutível da posição, a ponto de voltar à seleção inglesa após dois anos. Uma recuperação que ele comentou em entrevista divulgada pela Sky Sports nesta segunda-feira.

Em 2019, Luke Shaw foi eleito o jogador do ano, mas o jogador acha que está jogando melhor atualmente. “Eu não estava nem perto do meu melhor na época. Para ser honesto, foi uma temporada bem ruim de todo mundo. Talvez eu fosse um dos que se destacou um pouco, mas não foi nada especial”, admitiu o jogador.

“Definitivamente agora é o melhor período que eu vivo. Eu consegui manter uma série de bons jogos e me manter jogando. Eu estou aproveitando e eu penso ser o mais importante que eu queria voltar a sentir aquela alegria do futebol. Voltar a fazer o que eu gosto de fazer”, continuou.

O papel de Solskjaer na sua recuperação

Um dos maiores motivos para a recuperação de Luke Shaw tem a ver com Ole Gunnar Solskjaer. “Sua gestão de pessoas é incomparável. A forma como ele se comporta, em termos de como fala com os jogadores, tira o melhor proveito deles. Você pode ver isso. Ele lida com situações perfeitamente em termos do que é necessário, especialmente em um clube grande como o Manchester United”, explicou o lateral esquerdo.

“Ele tira a pressão dos rapazes e assume tudo ele mesmo. Algumas vezes não é justo, porque somos nós em campo e precisamos assumir a nossa parte justa também. Para mim, especialmente, do que eu tinha antes de Ole vir, é uma diferença total. Ele me levou a outro nível”, afirmou ainda Shaw.

O período sob o comando de Mourinho foi conturbado, embora Shaw tenha conquistado o prêmio de jogador do ano no clube foi sob o comando do português. As críticas do técnico, porém, era constantes e públicas. “Não quero parecer uma criança que não consegue lidar com a pressão porque, em um grande clube como o Manchester United, você sempre estará sob pressão e sob os holofotes. Isso te torna mentalmente mais forte”, afirmou. “Mas eu não tinha confiança naquela época. Eu estava perdendo minha fé. Acho que foi isso que mudou com Ole. Ele me administrou bem e eu recuperei minha confiança e estou realmente gostando disso no momento”.

“Prazer e confiança. Para mim, são as duas coisas mais importantes de que você precisa em campo. Você precisa acreditar na sua capacidade de jogar no mais alto nível. Sinto que tenho isso agora”, continuou Shaw.

“Acho que as pessoas pensaram que talvez eu estivesse me segurando um pouco. Nesta temporada, simplesmente parei de fazer isso e comecei a gostar de ir em frente e trazer a equipe para o campo. Tentando criar oportunidades. Mesmo apenas construindo o ímpeto no campo que nós precisamos”, explicou o lateral esquerdo.

O retorno à seleção inglesa

Com as boas atuações, Luke Shaw voltou a ser convocado para a seleção inglesa. “Depois de dois anos fora do elenco, eu estou extremamente feliz e orgulhoso em estar de volta”, disse o jogador. Ele estreou na seleção inglesa muito jovem, com 18 anos e sete meses, em 5 de março de 2014, ainda com o técnico Roy Hodgson. Dois dos seus concorrentes na época, Ashley Cole e Leighton Baines, já se aposentaram. “Me sinto muito velho agora”, brincou o jogador.

“A seleção da Inglaterra é massivamente diferente daquela que eu estava. O talento é inacreditável e todo mundo está em uma idade perfeita com jogadores que estão na casa de 20 anos, que estão jogando no topo por um longo tempo. É realmente um momento empolgante para ser torcedor da Inglaterra”, afirmou.

“O talento que temos é impressionante e o time que Gareth está construindo tem uma grande oportunidade de ganhar a Eurocopa neste ano. Espero que eu possa mostrar ao Gareth que eu posso fazer um grande papel no elenco”, disse.

“Eu conversei com a minha namorada no verão [período de férias na Europa, no meio do ano] e discutimos quais eram as minhas ambições para a temporada que viria. Um deles, é claro, era voltar à seleção inglesa. Eu estava determinado e estava disposto a fazer tudo que pudesse para voltar ao elenco da Inglaterra”.

Objetivo: taça como titular

“Eu sempre quis ganhar um troféu com o United. Eu não ganhei um aqui quando estava efetivamente jogando, já que estava machucado. O único que ganhei foi a Community Shield (Supercopa da Inglaterra), mas não é realmente um que você quer vencer. Espero que nesta temporada nós sejamos capazes de ganhar a Liga Europa”.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo