InglaterraPremier League

Leicester jogou como o campeão que ainda é para estraçalhar o Manchester City

Um lapso de tempo tomou o Estádio King Power neste sábado. Nem parecia que o Leicester era o mesmo time que sofre na atual temporada Premier League. Nem parecia que as Raposas tentam fugir do rebaixamento, que penam para reencontrar a sua melhor forma. A impressão era a de que as atuações exuberantes da campanha do título aconteceram dias atrás. Aquele 3 a 1 inesquecível sobre o Manchester City, no Estádio Etihad, voltou às lembranças como se tivesse acontecido anteontem. E a imposição se repetiu, com a equipe de Claudio Ranieri atuando como o campeão que ainda é: 4 a 2 sobre os Citizens, sem apelação. Noite de Jamie Vardy, ovacionado pelos torcedores no Estádio King Power, ao anotar seu primeiro hat-trick pelo clube.

O Leicester não deu nem tempo para o Manchester City respirar. Aproveitando a desatenção da defesa, os anfitriões marcaram dois gols em cinco minutos. O primeiro veio com a participação de seus principais nomes do ataque. Riyad Mahrez deu belíssimo passe de primeira a Islam Slimani, que enfiou a bola para Jamie Vardy sair na cara do gol e fuzilar Claudio Bravo. O artilheiro não balançava as redes pelo clube desde setembro, somando 16 partidas de seca. Já na sequência, outro tento. Após cobrança longa de lateral, o lance sobrou limpo para Andy King. O camisa 10 pegou na veia, da entrada da área, e estufou as redes.

Atordoado, o Manchester City tentava sair para o jogo e buscar o prejuízo. Mas se expôs ao Leicester. E as Raposas marcaram um gol com toda a cara da campanha do título. Lançamento da defesa de Robert Huth, contando de novo com a maestria de Mahrez. O meia deu um belíssimo passe de primeira, para Vardy driblar Bravo e ampliar a diferença. Os dois protagonistas do time não se combinavam em um tento desde a última temporada. Por mais que tivesse volume de jogo, o City era inoperante. Se a defesa já tinha entrado em colapso, o ataque mal conseguia criar ocasiões de perigo. E o quarto só não veio por boa defesa de Bravo contra Vardy.

Pep Guardiola só realizou suas primeiras mudanças no início do segundo tempo. Renovou as energias com Raheem Sterling na vaga de Jesus Navas. Já Yaya Touré entrou para dar presença de área, como atacante, substituindo Kelechi Iheanacho. Nada que botasse em xeque a segurança do Leicester. E haveria tempo para mais, em outra cortesia da zaga rival. John Stones recuou mal para Bravo e Vardy roubou a bola. Mesmo sem ângulo, bateu para o gol, em chute que triscou a trave e entrou por pouco – em tento assinalado graças à tecnologia na linha de gol. Vardy chegava ao seu hat-trick, para incendiar os presentes no Estádio King Power. O atacante não marcava três gols num mesmo jogo desde 2012, quando disputava a quinta divisão pelo Fleetwood Town.

A reação do Manchester City veio tarde demais. O primeiro chute no gol só aconteceu aos 37 do segundo tempo, em cobrança de falta de Aleksandr Kolarov que terminou nas redes. Já aos 45, Nolito, que saíra do banco, fez mais um. Nada que estragasse a festa do Leicester. Substituído poucos minutos antes do final, Vardy foi merecidamente aplaudido de pé por seus torcedores.

Dias depois do vexame na Champions, em que os reservas tomaram a maior goleada de um clube inglês na história da competição, o Leicester lavou sua alma com uma vitória incontestável. O descanso fez bem aos titulares, que voltaram com a fome de bola só exibida nos últimos tempos no torneio continental. É a postura que se espera de maneira um pouco mais frequente na Premier League. As combinações entre os homens de frente, sobretudo, faziam falta. Além disso, foi importante a solidez da defesa, um problema sério recentemente. Com os três pontos, as Raposas fecham o dia no 14° lugar, quatro pontos acima da zona de rebaixamento.

O Manchester City, por sua vez, continua questionado. O desempenho defensivo é péssimo. Guardiola, que quebrou recordes com a zaga do Bayern, já sofreu 18 gols na Premier League – mais do que em duas de suas três temporadas na Bundesliga. Além disso, já são duas derrotas consecutivas na competição, correndo o risco de perder o lugar no G-4 neste domingo. Outra vez, o Leicester proporciona um choque de realidade aos Citizens.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo