Champions LeagueInglaterra
Tendência

Guardiola diz que seu trabalho no City não estará completo sem o título da Champions League

O técnico afirmou que o título europeu não foi o único motivo pelo qual estendeu seu contrato até 2025, mas não negou que é seu principal objetivo

Pep Guardiola afirmou que conquistar a Champions League não foi o único motivo pelo qual ele renovou contrato com o Manchester City até 2025, mas admitiu que seu trabalho no Etihad Stadium não ficará completo sem o troféu que lhe falta. Ele falou pela primeira vez desde que estendeu seu vínculo, que terminava ao fim desta temporada, nesta quarta-feira, véspera do duelo contra o Liverpool pelas oitavas de final da Copa da Liga Inglesa, e também deu os parabéns à campeã mundial Argentina.

Não que seja algo muito simples de conseguir, mas Guardiola não vence a Champions League desde 2010/11, seu penúltimo ano no Barcelona. Esse é sem dúvida o principal objetivo do Manchester City no momento. Após três eliminações nas quartas de final e uma nas oitavas, Guardiola conseguiu chegar à decisão pelo clube inglês, contra o Chelsea, em 2020/21, mas foi derrotado. A última campanha parou no Real Madrid, na semifinal.

“Não é o único, mas admito que é o troféu que queremos. (Seu trabalho) Não ficará completo se não o conquistarmos, mas não é a única razão pela qual estendi meu contrato, absolutamente não. Eu farei tudo nesse tempo que temos juntos e tentarei, mas eu diria o mesmo. Nós tentamos antes. É o troféu que não temos e vamos tentar conquistá-lo”, afirmou Guardiola. “Tenho a sensação de que este clube, com as pessoas que o lideram, cedo ou tarde conseguiremos. Tentamos no passado. Tentamos com toda nossa força. Claro que vamos tentar”.

Guardiola afirmou que os jogadores da Copa do Mundo serão reintegrados passo a passo e que estão em melhores condições do que os que não foram convocados. Sergio Gómez, Erling Haaland e Riyad Mahrez estão um pouco abaixo do ritmo ideal, segundo ele. Seis mundialistas chegaram nesta quarta-feira, mas ele ainda terá que esperar um pouco mais por Julián Álvarez, o único campeão mundial do seu elenco. Ele deve ter uma semana ou dez dias de folga antes de se reapresentar.

“Estamos incrivelmente felizes por ele. Parabéns para ele, Nicolás Otamendi (ex-jogador do clube), Lionel Messi e para a Argentina. Um campeão merecido. Julián está conosco e estamos felizes que ele jogou muito. Temos um campeão do mundo no nosso time”, afirmou Guardiola, antes dar seu pitaco sobre o possível status de Messi como o maior jogador de todos os tempos.

“Todo mundo tem uma opinião, mas ninguém pode duvidar de que ele está entre os maiores de todos os tempos. Para mim, ele é o melhor. Difícil entender que um jogador possa competir com o que ele fez. As pessoas que viram Pelé ou Di Stéfano ou Maradona, a opinião delas é sentimental, mas o outro lado, se ele não tivesse vencido a Copa do Mundo, a minha opinião não mudaria. A cereja no bolo de uma carreira incrível”, encerrou, segundo o Manchester Evening News.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo