Inglaterra

Gesto de Anelka pode causar prejuízos financeiros para o West Brom

Estava Nicolas Anelka ofendendo os judeus ou simplesmente prestando uma homenagem ao seu amigo comediante Dieudonné M’Bala M’Bala quando comemorou um gol com o gesto La Quenelle – entenda aqui -, não importa. Os judeus ficaram ofendidos. O problema é que um deles ajuda a pagar o salário do francês, e agora o West Brom se vê em uma encruzilhada porque o principal patrocinador da sua camisa está ameaçando romper o contrato se o clube não se livrar do atacante.

A Zoopla, um site imobiliário, é co-propriedade de Alex Chesterman, um judeu, que segundo a imprensa inglesa, disse à diretoria do clube que pretende retirar o nome da empresa do uniforme do West Brom se Anelka jogar na próxima segunda-feira contra o Everton. O contrato começou em 2012 e expira ao fim da temporada.

Desde o incidente, contra o West Ham, em dezembro, o francês jogou todas as partidas do seu clube. A Associação de Futebol da Inglaterra iniciou uma investigação para apurar se houve racismo no gesto, mas a está conduzindo com a lerdeza de um Fusca 1973. O jornal The Jewish Chronicle e a campanha anti-racismo Kick It Out criticaram-na publicamente pela demora. Em contato com o jornal inglês The Guardian, o diretor técnico Richard Garlick afirmou que não vai comentar o caso enquanto a FA não concluir a sua investigação e “seria bom que ela terminasse assim que possível”. Caso Anelka seja condenado, pegaria no mínimo cinco partidas de suspensão.

O pouco inteligente ex-jogador de Real Madrid, Juventus e Arsenal não tem sido muito importante na luta do clube contra o rebaixamento – marcou duas vezes em dez partidas -, mas o West Brom ficaria bem desfalcado no ataque se tivesse que abrir mão dele, já que vendeu Shane Long para o Hull City. Por outro lado, se a ameaça da Zoopla se confirmar, vai ser difícil fechar as contas no fim do mês.

Não é a primeira vez que isso acontece no futebol inglês. Em 2011, a Umbro, principal patrocinadora de John Terry, distanciou-se do jogador quando ele foi condenado por racismo contra Anton Ferdinand, do Queen Park Rangers, e retirou as fotos do zagueiro do seu site. No ano seguinte, o banco Standard Chartered, parceira do Liverpool, criticou Luis Suárez porque ele não quis apertar a mão de Patrice Evra, do Manchester United, em outro caso notório de racismo.

 

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo