InglaterraPremier League

Franceses do Newcastle: falem inglês ou sejam punidos

O Newcastle confirmou nesta janela de transferências a imagem de embaixada do futebol francês na Premier League. Os cinco reforços trazidos pelos Magpies atuavam na Ligue 1 e possuem nacionalidade francesa – Mathieu Debuchy, Mapou Yanga-Mbwia, Moussa Sissoko, Massadio Haidara e Yoan Gouffran. Eles se juntam a uma legião de Bleus que já era composta por outros cinco jogadores, entre eles alguns destaques do time, como Yohan Cabaye e Hatem Ben Arfa. São 14 francófonos no elenco, número superior ao de jogadores formados na base.

Paradoxalmente, o técnico Alan Pardew teme que a língua possa ser uma barreira para a adaptação dos novatos, já que nenhum deles domina o inglês. O idioma local é o único permitido nos treinos do Newcastle e o comandante afirmou que os atletas poderão ser multados caso não se adaptem rapidamente às normas.

“Esses jogadores não terão tempo para se adaptar. Se eles quiserem jogar, deverão entrar no ritmo do time rapidamente. Não podemos esperar que eles se estabeleçam. Eles precisam aprender inglês logo ou serão penalizados. O desafio para mim é contar com o elenco todo disponível o quanto antes”, declarou o treinador.

Além disso, Pardew admitiu as deficiências dos Magpies em buscar reforços no início da temporada: “Jogadores de futebol são bastante adaptáveis, são como camaleões. Eles aceitaram os novos contratados como parte do processo e estão contentes com isso. Buscamos fortalecer o time, embora pudéssemos ter feito isso ainda na janela de verão”.

O Newcastle ocupa a 16ª colocação na Premier League, dois pontos acima da zona de rebaixamento. Além disso, a equipe perdeu 10 de seus últimos 13 jogos na competição. O próximo compromisso acontece nesta terça, contra o Aston Villa em Birmingham.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo