Inglaterra

Entre vitórias e lesões, Manchester United não sabe o que esperar a seguir

O Manchester United passou fácil pelo Hull City neste sábado, por 3 a 0, no Old Trafford. Chegou à sua terceira vitória consecutiva na Premier League, marca que, embora tímida, não era alcançada pelo clube desde dezembro do ano passado. Se nos resultados a fase do clube parece boa, em campo o futebol ainda não é lá tão regular, e o ciclo interminável de lesões ameaça qualquer projeção de ascensão no campeonato. O que esperar dos Red Devils na próxima rodada? Para essa pergunta, talvez nem mesmo Van Gaal tenha a resposta.

VEJA TAMBÉM: Giroud voltou, mas quem salvou o Arsenal contra o West Brom foi Welbeck

Contra o Hull City, o Manchester United teve uma de suas melhores atuações nesta temporada. Em nenhum momento atingiu o ápice técnico que conseguiu na goleada por 4 a 0 sobre o QPR na quarta rodada, mas, diferentemente daquele jogo, manteve um bom nível de atuação durante o tempo todo, como o próprio Van Gaal destacou: “Dominamos o jogo do primeiro minuto até o último. Foi nossa melhor partida até agora durante todos os 90 minutos”.

Van Persie fechou vitória com golaço

Apesar de ter motivos para comemorar graças à regularidade neste triunfo por 3 a 0 e à sequência de três vitórias, por outro lado, as seguidas lesões que o elenco tem sofrido ainda deixam no ar uma incógnita quanto ao que esperar nas próximas rodadas. O técnico holandês não tem conseguido repetir suas escalações e, a cada rodada, precisa improvisar de alguma maneira na formação da equipe, sobretudo na defesa. Neste sábado, por exemplo, Carrick formou o trio de zaga ao lado de Smalling e Rojo. Sem falar no lado tático, também ainda sem definição. O esquema com três zagueiros, que parecia ter ficado para trás após o início sem vitória nas três rodadas iniciais, voltou nos últimos dois jogos.

Pelos problemas físicos, contratações importantes, que podem levar o time a um outro nível, como Herrera e Falcao, ainda não tiveram uma boa sequência de jogos para deslanchar. Desta vez, quem preocupa é Di María. Um dos melhores do time até agora na campanha de 2014/15, o argentino teve de deixar o campo antes dos 15 minutos de jogo. A contusão do camisa 7 foi a 41ª do elenco do Manchester United na temporada, que começou apenas em agosto.

Não dá para fazer uma previsão de como estará o Manchester United daqui a um ou dois meses, simplesmente por não podermos afirmar com certeza qual será o time base sequer nas próximas rodadas. Para a sorte de Van Gaal, o momento é bom, e, de qualquer maneira, os resultados positivos são sempre um fôlego a mais para resistir à pressão por mudanças em relação ao mau desempenho que a equipe tem tido desde que Alex Ferguson se aposentou. A irregularidade dos concorrentes também tem contribuído, e, mesmo sem impressionar, os Red Devils se veem bem posicionados, na quarta colocação. Continuará assim?

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo