Inglaterra

David Moyes está com os dias contados no West Ham, que já achou um substituto

West Ham direciona atenção para mercado de treinadores e avança em negociações com Lopetegui

Tudo indica que o West Ham passará por mudanças significativas na próxima temporada, a começar por seu comando técnico. Pressionado no cargo, David Moyes deve deixar o clube ao término da Premier League. O treinador escocês, apesar da identificação e longo tempo à frente dos Hammers, deixou a desejar em 2023/24 e passou a ser contestado por boa parte da torcida e imprensa local. Livre no mercado, Julen Lopetegui é o nome mais cotado para assumir o time londrino.

Segundo o “The Guardian”, as negociações entre West Ham e Lopetegui ganharam força nos últimos dias, e o acerto parece iminente. Entretanto, o clube só fechará a contratação do técnico espanhol após resolver a situação de David Moyes. O escocês tem contrato até o dia 30 de junho e, como citado, não deve ser procurado para uma renovação de vínculo. Antes de se despedir dos Hammers, Moyes comandará a equipe em mais três jogos de Premier League, contra Chelsea, Luton Town e Manchester City.

A corrida do West Ham por um novo técnico

Ao bater o martelo e decidir internamente que David Moyes não seguirá no comando, a diretoria do West Ham direcionou as atenções para o mercado de treinadores e considerou diversos candidatos. Rúben Amorim, do Sporting, chegou a viajar para Londres e conversar com a alta cúpula dos Hammers. Todavia, as tratativas não avançaram, e o promissor técnico português se disse arrependido da ida até a capital inglesa. Um dos principais fatores que fez o interesse dos londrinos por Amorim esfriar é a multa rescisória de 15 milhões de euros no contrato do comandante com o clube lusitano.

Hansi Flick (sem clube), Marco Silva, do Fulham, e Paulo Fonseca, do Lille, também foram nomes considerados pelo West Ham. Contudo, em nenhum dos três casos, a diretoria abriu conversas. O motivo? Julen Lopetegui. O técnico espanhol, que está desempregado desde que deixou o comando do Wolverhampton em agosto de 2023, passou a ser o principal alvo dos Hammers após as frustradas tratativas com Rúbem Amorim.

Lopetegui chegou a ser especulado no Milan, que não deve continuar com Stefano Pioli para próxima temporada. Porém, a esmagadora maioria da torcida rossonera rejeitou o nome do espanhol e instituiu um abaixo assinado nas redes sociais, o #Nopetegui, para pressionar a diretoria milanista a desistir da ideia de contratá-lo. A estratégia dos adeptos italianos deu certo, e o caminho ficou aberto para o West Ham, que tem boas chances de anunciar o ex-Wolves nas próximas semanas.

O péssimo 2024 do West Ham de David Moyes

Depois de comandar o West Ham durante a temporada 2017/18, Moyes teve o seu retorno confirmado aos Hammers no dia 29 de dezembro de 2019. No geral, a segunda passagem do escocês pelo clube londrino é bem positiva. Ele levou o time ao seu primeiro grande título em 43 anos, quando venceu a Conference League em julho de 2023.

Veio 2023/24, e o início do West Ham foi para lá de promissor. Moyes, que havia acabado de liderar a equipe rumo a um título internacional, estava perto de conseguir um novo contrato com o clube. Entretanto, tudo começou a ruir a partir da virada do ano. No Natal, os Hammers ocupavam a sexta colocação da Premier League e eram apontados como uma das principais surpresas da competição. Atualmente, o cenário é bem diferente. O time caiu para nono, e a tendência é que sequer belisque uma vaga de Conference League.

Estatísticas de David Moyes à frente do West Ham

  • 258 jogos
  • 111 vitórias
  • 53 empates
  • 94 derrotas
  • 399 gols marcados
  • 359 gols sofridos
  • 1 título conquistado (Conference League 2022/23)

Carreira de Lopetegui

Seleções de base e Porto

  • Após curta passagem pelo Rayo Vallecano e uma temporada no comando do Real Madrid Castilla, Julen Lopetegui obteve sucesso dirigindo as seleções de base da Espanha, sendo campeão europeu sub-19 e sub-21;
  • No final de 2013/14, o treinador espanhol foi chamado pelo Porto para comandar a equipe a partir da temporada seguinte. Em solo português, somou 53 vitórias e apenas nove derrotas em 78 jogos. No entanto, os números não foram suficientes para mantê-lo no cargo por muito tempo;
  • O desempenho de Lopetegui à frente do Porto foi minimizado e considerado natural, apesar da ausência de títulos. Afinal, até então, o treinador praticamente só havia dirigido equipes de base, com exceção da passagem pelo Rayo Vallecano.

Seleção Espanhola principal

  • Em virtude do período vitorioso à frente das seleções de base da Espanha, a Real Federação Espanhola decidiu dar uma oportunidade a Lopetegui, que foi chamado para comandar o time principal da Fúria;
  • Dois dias antes do início da Copa do Mundo 2018 para Espanha, Lopetegui foi demitido por conta de um acordo com o Real Madrid, que entraria em vigor após o mundial. Sem uma única derrota no comando da seleção, ele terminou sua passagem com 14 vitórias em 20 partidas.

Real Madrid

  • Depois da saída conturbada da Seleção Espanhola, Lopetegui chegou ao Real Madrid com uma missão desafiadora: substituir o tricampeão europeu Zinedine Zidane, que pediu demissão alegando que o elenco e a parte técnica da equipe precisava ser renovada;
  • A passagem de Lopetegui pelo Real Madrid foi um desastre. O time merengue não performou em campo, e após quatro jogos sem vencer e uma goleada sofrida para o arquirrival Barcelona, a diretoria madridista decidiu pela demissão do treinador.

Sevilla e Wolves

  • Lopetegui comandou o Sevilla de 2019 a 2022 e viveu seu auge como técnico. Ele reviu erros cometidos no Real Madrid e potencializou a equipe rojiblanca, levando o clube a conquista da Liga Europa 2019/20. Em 170 partidas, obteve 90 vitórias, 44 empates e 36 derrotas;
  • No Wolverhampton, Lopetegui durou 10 meses. Segundo o clube, a decisão pelo desligamento do técnico espanhol foi feita em comum acordo, após divergências de ideias entre o treinador e a diretoria. Em 27 partidas, venceu apenas 10 e amargou 12 reveses.
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo