Copa da Liga Inglesa

O Liverpool não aproveitou a vantagem numérica e o Arsenal segurou satisfeito o empate na semifinal da Copa da Liga

O Arsenal teve uma grande atuação defensiva em Anfield e saiu com um empate valioso diante das circunstâncias, que pendiam ao Liverpool

O Liverpool tem motivos para lamentar o empate por 0 a 0 com o Arsenal, na ida das semifinais da Copa da Liga Inglesa. O domínio dos Reds em Anfield seria cristalino, especialmente por causa da expulsão de Granit Xhaka aos 24 minutos. Todavia, a equipe de Jürgen Klopp sentiu os desfalques, principalmente de Mohamed Salah e Sadio Mané. O controle da bola não se converteu necessariamente em tantas chances de gol e o empenho defensivo dos Gunners seria recompensado. Os londrinos tiveram seus melhores momentos no segundo tempo, com algumas escapadas perigosas, mas o resultado já parece lucro antes do reencontro no Emirates.

O Liverpool tinha alguns desfalques sensíveis, em especial Mohamed Salah e Sadio Mané, na Copa Africana de Nações. Porém, era uma escalação com o melhor à disposição de Jürgen Klopp. Alisson, Virgil van Dijk, Trent Alexander-Arnold, Fabinho e Jordan Henderson estavam em campo. Já o ataque era formado por Roberto Firmino, Diogo Jota e Takumi Minamino. As ausências do Arsenal eram mais numerosas, não só pelos jogadores na CAN, mas também pelas lesões de nomes como Emile Smith Rowe e Martin Odegaard. Alexandre Lacazette era o veterano num quarteto ofensivo de garotos, acompanhado por Bukayo Saka, Eddie Nketiah e Gabriel Martinelli. A força ficava especialmente para a dupla de zaga, entre Ben White e Gabriel Magalhães.

O Liverpool pretendeu estabelecer um jogo ofensivo de início e parecia perigoso em suas primeiras ações, mas não que isso rendesse tantos lances claros. O Arsenal se defendia com competência, mesmo com a necessidade de trocar Cédric Soares logo aos 11 minutos. Os Reds se limitavam basicamente a muitos escanteios, até que Aaron Ramsdale quase fizesse lambança em saída de bola e, depois, Ben White realizasse um arriscado corte para frustrar Roberto Firmino aos 13. Já os Gunners demoraram a ter um pouco mais de posse e, no primeiro chute, Alexandre Lacazette errou por muito aos 19.

O momento decisivo ocorreu aos 24, quando Granit Xhaka acertou Diogo Jota na entrada da área, quando o atacante sairia livre para o gol. A pancada do suíço mereceu o vermelho direto, pela chance manifesta de gol. A segunda mudança dos londrinos ocorreu nesta sequência, com Rob Holding na vaga de Eddie Nketiah. A partir de então, o duelo se tornou um ataque contra defesa, mas pouco o Liverpool oferecia. O time era especulativo e construía pouco, dependendo de Andy Robertson na esquerda. O Arsenal, mesmo extremamente cauteloso, voltaria a ter uma escapada com Lacazette aos 43.

O Liverpool precisava apresentar mais no segundo tempo e, logo de cara, Takumi Minamino levou perigo num cruzamento que encobriu Ramsdale. O Arsenal responderia com Bukayo Saka, travado por Joel Matip, e compensava a inferioridade numérica com muita disposição. Assim, a partida se seguia intensa, mas não tão emocionante. Os Gunners passaram a ficar um pouco mais com a bola e assustava em algumas ocasiões, inclusive com Alisson precisando se antecipar em outro lance de Saka. Gabriel Martinelli era outro exemplo da equipe, com uma postura muito combativa, sobretudo sem a bola, diante da necessidade de atuar recuado no meio.

O Liverpool contou com a entrada de Curtis Jones aos 16 e teria alguns bons lances, com Minamino acertando um chute cruzado venenoso. Contudo, o time era um tanto quanto previsível e parecia nervoso com o passar dos minutos. E não que o Arsenal se contivesse, com Saka ainda incomodando Alisson, num lance em que o ponta errou o domínio e o goleiro abafou em seus pés. Isso até que o jovem precisasse sair, lesionado. Jürgen Klopp também tinha feito uma mudança tripla pouco antes, com as entradas de Alex Oxlade-Chamberlain, Neco Williams e Joe Gómez. Uma tentativa de garantir novo gás na reta final em Anfield.

Os últimos minutos guardaram um pouco mais de emoção. O Liverpool tentou ser mais agudo, mas o Arsenal se segurava, sobretudo pela segurança de Ben White no centro da área. Ainda assim, aos 45, uma bola respingou na área depois da saída errada de Ramsdale e ficou limpa para Minamino, que isolou quando estava com o gol aberto à sua frente. Nos acréscimos, White ainda afastaria um chute na pequena área e a pressa era toda dos Reds. Nada capaz de render o gol, com o empate valendo o empenho e organização do Arsenal na noite.

O reencontro entre Arsenal e Liverpool acontecerá na próxima quinta-feira, no Estádio Emirates. O vencedor enfrentará o Chelsea, em decisão marcada para 27 de fevereiro.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo