Inglaterra

Convocação à seleção inglesa é a justa recompensa ao tremendo início de temporada de Calvert-Lewin

O Everton fez até o momento uma janela de transferências bastante interessante, com a chegada de Doucouré, Allan e James Rodríguez ajudando a dar nova cara à equipe de Carlo Ancelotti. Ainda assim, o grande destaque individual do início de temporada dos Toffees é mesmo um garoto da casa. Dominic Calvert-Lewin tem tirado proveito do time bem encaixado que agora tem em torno de si, e a recompensa por um princípio de campanha tão bom veio nesta quinta-feira (1), na forma de sua primeira convocação para a seleção inglesa principal.

[foo_related_posts]

Além do reconhecimento em si por seu trabalho, Calvert-Lewin apareceu na relação de Gareth Southgate graças à cova cavada por Mason Greenwood a si mesmo. O jovem do Manchester United, assim como Phil Foden, do City, foi chamado pela primeira vez pelos Three Lions na convocação passada e, no que deveria ter sido uma ocasião especial, acabou colocando tudo a perder ao quebrar os protocolos de distanciamento social ao levar, junto com o jogador dos Cityzens, duas garotas para o hotel onde estava concentrada a seleção inglesa na Islândia.

Southgate, em entrevista coletiva nesta quinta-feira, explicou que Greenwood e Foden precisam entender a responsabilidade que envolve representar a seleção, e a ausência da lista atual é a maneira que encontrou de transmitir isso. No entanto, apontou para a necessidade de preservar os dois, ainda bastante jovens, com 19 e 20 anos, respectivamente.

“Temos que enviar uma mensagem a todos os nossos jogadores em nossas equipes, em qualquer nível de idade, de que esse tipo de coisa não é como funcionamos na seleção inglesa. Então, precisamos reabilitar esses dois garotos. Pessoas jovens cometem erros, e esses garotos já sofreram o bastante.”

Calvert-Lewin, que nada tem a ver com os desfortúnios da dupla de Manchester, acaba vendo o seu caminho acelerado até a seleção inglesa. Se mantivesse o nível que tem apresentado até então também no decorrer da temporada, já deveria naturalmente ser lembrado, mas agora ganha uma oportunidade que, embora rápida, é imensamente merecida.

Em cinco jogos em 2020/21, o atacante de 23 anos anotou oito gols, seis deles vindo em dois hat-tricks, nas vitórias por 4 a 1 contra o West Ham, pela Copa da Liga Inglesa, na quarta-feira (30), e por 5 a 2 sobre o West Bromwich, pela segunda rodada da Premier League, em 19 de setembro. A efeito de comparação, em 2019/20 havia feito 15 em 41 jogos, enquanto em 2018/19 o número foi de oito gols em 38 partidas.

Calvert-Lewin cresceu significativamente nos últimos meses, virando uma referência no ataque do Everton com seu bom posicionamento dentro da área, sua presença aérea perigosa e a qualidade que mostra para jogar também de costas para o gol, se aproximando de companheiros e fazendo bem o pivô para a chegada de colegas de talento como James Rodríguez e Richarlison.

Na seleção inglesa, o jogador dos Toffees pode oferecer uma solução a Gareth Southgate em jogos em que o treinador não puder contar com Harry Kane, que tem sofrido com problemas físicos especialmente nos últimos um ou dois anos.

O seu crescimento, aliado ao surgimento de Greenwood, é uma excelente notícia à seleção inglesa, que ganha maior profundidade, mais opções para as chamadas e, claro, aumenta a concorrência e, portanto, o nível de exigência para preencher as vagas do ataque.

A lista completa de Gareth Southgate, conforme publicada no Twitter da seleção inglesa:

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo