Inglaterra

Bom para a Inglaterra

É provável que os torcedores poloneses, gregos, russos e tchecos tenham comemorado o sorteio da Euro-2012. Ninguém pode ter dúvida de que o grupo A é o mais fácil da competição, tendo a absoluta quantia de nenhum time decente. Saíram simplesmente os piores times de cada pote: a Polônia era o pior cabeça-de-chave, a Russia era disparado o pior time do pote que tinha Alemanha, Itália e Inglaterra e não pode haver dúvida de que a Grécia está muitos degraus abaixo de Portugal e de que é pior que Suécia e Croácia. Da mesma forma, embora não se possa dizer que haja grandes diferenças entre a República Tcheca e os outros times do pior pote, certamente não há desvantagens em enfrentá-la.

De modo que, para os times cujo objetivo é superar a primeira fase da competição, o grupo A é o que foi pedido ao Papai Noel. Assim como o B é o que todos gostariam de evitar, já que, se não tem a Espanha, tem três outros candidatos ao título, aí incluídos os melhores times dos potes 2 e 3. E é aí está a pegadinha do sorteio. Porque, se é evidente que é muito bom jogar contra os times do grupo A, também o é que a possibilidade de passar por qualquer dos times que se classifique no grupo B é minúscula. E é exatamente aí que se pode dizer que a Inglaterra se deu bem.

Porque o objetivo da Inglaterra não é apenas passar pela primeira fase. Embora não vá ter grandes molezas nesta etapa, Suécia e Ucrânia são adversários vencíveis, e a França não é um rival temível neste momento – apesar de ter os jogadores necessários para sê-lo. Passando, os ingleses poderiam ter que enfrentar Alemanha, Holand ou Portugal. Têm, porém, a possibilidade de pegarem o que hoje é provavelmente o mais fraco entre os tradicionais bichos-papões do continente: a Itália, desfalcada de seus melhores atacantes. Para isso, basta passar em primeiro. Porque, se não conseguir, o provável adversário é a Espanha.

A Inglaterra não tem time para derrotar Espanha ou Alemanha em uma partida normal. Pode ter para passar por qualquer das outras seleções – embora, do jeito como andam as coisas, pode também não ter para superar nem Ucrânia nem França. E a segunda pegadinha do sorteio para o English Team está, como esteve na Copa de 2010, na primeira rodada, quando enfrenta justamente a França, seu rival mais perigoso.

Não é exagero dizer que ambas as equipes jogarão uma final em sua primeira rodada. Pela rivalidade, porque de uma vitória nesta partida pode nascer um time embalado e, claro, porque o jogo tem tudo para decidir o primeiro colocado do grupo.

A Inglaterra de hoje está longe de ser uma das principais seleções do mundo. Alguns de seus destaques dos últimos tempos envelheceram, outros nunca chegaram a  render com a camisa branca o que renderam com camisas de outras cores, e, principalmente, o moral da equipe, que na última década sempre se via como favorita, é baixo. Com o moral baixo, entretanto, vem a expectativa baixa. Que, somada a jovens que começam a garantir lugar entre os titulares e, claro, à sorte, pode levar a um resultado melhor do que se espera justamente quando já não se espera muito.

Pela lógica, a Inglaterra briga por uma vaga nas semifinais, para a qual não é favorita. Mas pela lógica a Grécia jamais teria ganho a Euro-2004.

CURTAS

O Newcastle encerrou a fase de três jogos com os favoritos ao título com derrota por 3 a 0 em casa contra o Chelsea.

Depois de ganhar um ponto – e jogar bem – diante do United em casa, a derrota é uma ducha de água fria para os Magpies, que caíram para o sexto lugar, e podem perder a posição se o Liverpool ganhar do Fulham em Londres nesta segunda.

Os cinco primeiros colocados ganharam. O Tottenham, que bateu o Bolton em casa, chegou a nada menos que 31 pontos em 33 disputados, e segue colado no vice-líder United.

No Championship, o Southampton voltou a perder para um dos lanternas, desta vez para o Doncaster. Os Saints só não perderam a liderança porque o West Ham também vacilou: perdeu em casa para o Burnley.

E o Nottingham Forest entrou na zona de rebaixamento da Segundona.

Para não ficar sem a continuação da história: na League One, na segunda passada, o líder Charlton venceu o Huddersfield em casa e, além de se manter na ponta, acabou com a serie de trocentos jogos sem derrota do adversário.

Os Addicks têm neste momento 46 pontos, sete a mais que o vice-líder Sheffield Wednesday.

A curiosidade é que o Sheffield United é hoje o quinto, na zona dos playoffs, ou seja: os dois tradicionais times de Sheffield podem subir na mesma temporada.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo