BrasilInglaterra

Barton se rende a Neymar, e nós nos rendemos a Barton

Você pode pensar que Joey Barton é um grande corneteiro que passa o seu tempo livre criticando colegas de profissão ou criando polêmicas. Mais do que isso, pode também ter se ofendido quando ele chamou o Campeonato Brasileiro de “Liga da Selva Amazônica” e menosprezou Neymar. Bem, você tem toda a razão se não gostou do “Jungle League”, mas não dá para limitar a análise de uma pessoa a uma passagem apenas, ainda que infeliz.

Barton mostrou isso nesta quinta, ao resolver embasar melhor suas teorias sobre Neymar em seu site oficial, e não se limitando a pílulas de 140 toques de pensamento no Twitter. O inglês fez um texto relativamente grande e com uma pesquisa complicada para emitir uma opinião final sobre Neymar, alvo de ironias da sua parte.

E aí você pode pensar que ele realmente não tem o que fazer, mas no fim Barton acabou dando o braço a torcer e se rendeu aos talentos do brasileiro. Baseado em estatísticas e comparações bem pontuais do Brasileirão com a Liga dos Campeões, o volante reconheceu que foi injusto com o novo jogador do Barça e que a diferença de nível técnico das duas competições nem é tal grande quanto ele supunha, mas que ainda enxerga certo exagero em torno de Neymar.

Em posse de alguns números, Joey elogiou a boa média do atacante como passador e driblador, atentando ao fato que ele tem um estilo que se encaixa bem no cenário espanhol e europeu. Baseado nisso, concluiu as facilidades e dificuldades que Neymar possa ter na sua adaptação ao novo continente. Num determinado ponto do texto, ele comenta: “Esses dados não só me ajudam a fornecer um comentário justo a favor de Neymar, como me permitem entender por que o frisson em volta dele existe no Brasil. É claro que ele desfruta de grande sucesso em seu país, mas enquanto vocês acham que os padrões da Liga dos Campeões e da Série A do Brasileiro são discrepantes, ele mostra que está bem acima da média”.

Ele finalmente se rendeu

No fim, Barton entendeu que ele terá mesmo um grande teste no Barcelona e que não raro será comparado com Messi. Ele ainda não está convencido de que Neymar é uma realidade no futebol mundial, mas convenhamos que ao menos o inglês se deu ao trabalho de olhar bem para defender sua tese de contestação, coisa que muita gente deixa passar batido antes de criticar fulano ou sicrano. E ainda teve a mente aberta para assumir que avaliou mal.

Se Barton deu o braço a torcer a favor de Neymar, precisamos dar ao gringo um pouco de crédito pela intensa avaliação que fez antes de cravar que se trata de um atleta superestimado. Afinal, o que estamos discutindo aqui é o Barton-analista, e não o Barton-jogador. E o Barton-analista acabou de mostrar algumas virtudes. Que continue assim.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo