Holanda

Twente não poderá disputar competições europeias por relação com fundo de investimento

A Fifa anunciou em abril deste ano a proibição da participação de investidores nos direitos econômicos de jogadores, e, se algum clube tinha dúvidas sobre a rigidez da nova medida , acabou de ganhar um motivo para seguir na linha, vindo direto da Holanda. O Twente foi banido de competições europeias por três temporadas por causa de um negócio com a Doyen Sports, empresa que agencia jogadores por todo o mundo e tem outros negócios no futebol.

VEJA TAMBÉM: A conta do Twente chegou. E chegou dolorosa

A punição, que inclui uma multa de € 45.250, aconteceu através da Fedaração Holandesa, que alegou que o clube tentou “enganar deliberadamente” a instituição ao dar explicações sobre uma negociação para a venda dos direitos econômicos de um jogador para a Doyen. O Twente declarou que as sanções “atingiam fortemente o coração do clube”, mas a verdade é que o golpe pode ser ainda pior, dependendo da maneira como os dirigentes da agremiação decidam agir a partir de agora.

A Federação Holandesa exige colaboração do clube no andamento da investigação, para encontrar os responsáveis individuais pelo negócio com a Doyen, sob o risco de o time perder sua licença profissional e, consequentemente, sua associação com a federação.

Conforme nosso colunista Felipe dos Santos Souza explicou há alguns dias, o site Football Leaks vazou um acerto entre o Twente e a Doyen fechado em fevereiro de 2014, que dizia que o fundo de investimentos, com sede em Malta, teria direito a comissões na venda de determinados atletas do elenco do clube. Cinco deles foram vendidos de 2014 para cá, entre eles Dusan Tadic, para o Southampton, e Luc Castaignos, para o Frankfurt.

Segundo o Record, de Portugal, a Doyen é parte de um grupo privado com sede em Londres e que tem atividades em diversas áreas além do futebol: recursos naturais, setor imobiliário, hotelaria, entretenimento, energia etc. No esporte, atua principalmente em Portugal, Espanha, Leste Europeu e Brasil. Tem em seu quadro de clientes atletas como Morata, Falcao García, Marcos Rojo, Casemiro, Negredo, Mangala, Kondogbia e Guilavogui e teria ainda facilitado algumas transações, como a de Falcao para o Monaco.

A empresa ainda representa os direitos de imagem de figuras como Neymar, Beckham e Xavi. Além do agenciamento, pretende entrar no mercado de direitos de transmissão de competições, de acordo com o periódico português. Para seguir com seus planos, no entanto, precisará lidar com uma situação de muito mais escrutínio após o vazamento desses documentos com o Twente.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo