Holanda

Titular pela primeira vez em oito meses, Robben foi eleito o melhor em campo e até se emocionou pela recuperação

O retorno de Arjen Robben ao Groningen, no início da atual temporada, se prometia uma história legal de se acompanhar. Após despedir-se do Bayern de Munique como uma verdadeira lenda, o atacante voltava aos gramados após um ano parado e vestia a camisa do clube onde iniciou a carreira. As lesões que atrapalharam Robben ao longo de sua trajetória, entretanto, também impediriam a continuidade do veterano com os alviverdes. Foram oito meses praticamente completos no departamento médico, até que o ponta voltasse a ser titular neste domingo. Enfim, o camisa 10 conseguiu ficar mais de meia hora em campo e deu duas assistências na goleada por 4 a 0 sobre o Emmen. Acabou eleito o melhor do jogo e, mesmo com uma carreira tão vitoriosa, não segurou as lágrimas pelo novo momento de superação que experimentava.

Até este domingo, a única partida de Robben como titular no Groningen tinha sido sua estreia. O capitão ficou por meia hora em campo contra o PSV, outro amor antigo, mas precisou ser substituído com um problema na virilha. O atacante permaneceu três rodadas fora e voltou no meio de outubro, contra Utrecht. Foram somente mais 12 minutos em campo, até se contundir de maneira séria e passar os próximos seis meses em recuperação. Em abril, enfim, o camisa 10 reapareceu no time. Jogou os minutos finais contra o Heerenveen e ficou meia hora em campo diante do Sparta Roterdã. Já neste domingo, diante do Emmen, o craque voltava aos titulares depois de oito meses de hiato.

Robben não apenas permaneceu em campo durante 80 minutos, já uma vitória, como também protagonizou a goleada por 4 a 0. Tudo bem que o Emmen não é o maior dos rivais, antepenúltimo colocado, mas o significado da atuação vai além do tamanho do desafio. O camisa 10 serviu duas assistências para o centroavante Alessio da Cruz, enquanto Bart van Hintum e Paulos Abraham completaram o placar. Reconhecimento ao papel decisivo, o craque de 37 anos saiu de campo aplaudido aos 35 do segundo tempo e acabou escolhido como o melhor em campo. As lágrimas dizem muito sobre o tamanho de sua conquista pessoal, a quem já tinha sido melhor jogador até em final de Champions.

Depois da vitória, Robben até admitiu um desejo pouco factível neste momento: estar presente na Euro 2020. “Eu queria muito voltar a jogar, queria muito ajudar meu time. Deu certo. Estou muito feliz”, afirmou à TV local, conforme a tradução dos amigos do Espreme a Laranja. “Se Frank de Boer me ligasse, eu diria sim à seleção. Seria ótimo, mas vamos ser realistas. Quando eu voltei, pensar nisso [voltar à seleção] era loucura. Vejamos”.

Por enquanto, a missão de Robben é ajudar mesmo o Groningen no final da temporada e se manter saudável. O clube ocupa a sétima colocação e permanece na disputa por uma vaga nas copas europeias durante a próxima temporada. Só de ver uma lenda como o camisa 10 tão faminto e emocionado já vale demais. Fica a torcida para que, se o veterano ampliar seu vínculo, 2021/22 seja um ano bem mais constante e permita um último capítulo especial à fantástica carreira construída pelo camisa 10.

Atualizado às 17h00: Antes do jogo, Robben ainda protagonizou esse momento impagável com um garoto que atuaria como gandula. Diz muito sobre o ídolo.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo