Holanda

Rodada final promete ser emocionante como muitas outras do Holandesão neste século

O Feyenoord teve o título nas mãos, no último final de semana, mas foi derrotado pelo Excelsior, por 3 a 0, e adiou a quebra de um jejum de títulos holandeses que perdura desde 1999. Com a ascensão do Ajax, que perdeu apenas uma das últimas 17 rodadas, os dois primeiros colocados entram na rodada derradeira, neste domingo, separados por apenas um ponto. A expectativa é de muita emoção, como tem sido quase tradicional no Campeonato Holandês neste século.

LEIA MAIS: Apesar da decepção, torcida do Feyenoord se reúne para receber o time e elevar o moral

Não será a primeira vez que a Eredivisie apresenta equilíbrio até os últimos suspiros. Na realidade, encontramos outras seis ocasiões recentes, de 2000 para cá, em que o título foi disputado por duas – ou mais – equipes na rodada derradeira da competição.

2002/03

O título foi definido na última rodada, mas o PSV estava em ótima posição para conquistá-lo. Tinha três pontos a mais que o Ajax e seis gols de vantagem no saldo de gols. Poderia ser campeão até mesmo se fosse derrotado pelo Groningen, fora de casa, desde que o rival de Amsterdã não goleasse o Heerenveen.

O Ajax, treinado por Ronald Koeman, fez a sua parte e ganhou por 3 a 0, mas o PSV de Guus Hiddink, Arjen Robben, Park Ji-Sung, Van Bommel e Kezman segurou o 0 a 0 e levantou o caneco com um ponto a mais do que o segundo colocado.

2006/07

A última rodada desta temporada começou com três equipes empatadas em pontos. PSV, Ajax e o AZ Alkmaar de Louis Van Gaal somaram 72 pontos em 33 partidas. A vantagem era do AZ, com 53 gols de saldo, contra 47 da equipe de Amsterdã e 46 do time de Eindhoven.

Agora, Koeman estava no PSV, que fez bem o seu trabalho e abriu 2 a 0 contra o Vitesse, em casa, aos 10 minutos do primeiro tempo. Theo Janssen descontou, pouco depois: 2 a 1 no intervalo. Enquanto isso, o Ajax terminou o primeiro tempo vencendo o Willem II por 1 a 0, e o AZ Alkmaar se complicava. Seu goleiro Boy Waterman foi expulso, aos 19, e Luigi Bruins abriu o placar. Simon Cziomer ainda conseguiu o empate antes do árbitro marcar a metade do jogo.

Do jeito que estava, o campeão seria o Ajax, com 48 de saldo, contra 47 do PSV, que voltou com tudo dos vestiários e fez 3 a 1, aos 14 minutos, e 4 a 1, aos 20. O Ajax ampliou com Huntelaar. Durante oito minutos, os dois adversários ficaram empatados no saldo – 49 a 49 -, com o Ajax levando vantagem no número de gols marcados. Até Phillip Cocu anotar o quinto do PSV, que também pode ser chamado de “gol do título”.

No terceiro jogo importante da rodada, o AZ Alkmaar, que havia começado o dia em que a Holanda teve três campeões diferentes, sofria contra o Excelsior. Chegou a empatar em 2 a 2, aos 26 minutos do segundo tempo, mas levou um gol nos acréscimos e, além de tudo, foi derrotado e ficou a três pontos dos líderes.

2007/08

O PSV mais uma vez chegou à rodada final com três pontos de vantagem em relação ao Ajax, mas, diferente de 2003, não tinha folga no saldo de gols: perdia no critério de desempate por 45 a 40. Logo, necessitava de pelo menos um empate contra o Vitesse para ser campeão e conseguiu apenas um pouco mais do que isso. Com Gomes no gol, venceu por 1 a 0. Ainda bem, porque o Ajax goleou o Heracles por 5 a 1 e teria levando o caneco em caso de derrota da equipe de Eindhoven.

2009/10

O ataque de mais de 100 gols do Ajax de Martin Jol, com um tal de Luis Suárez vestindo a camisa 16, não foi suficiente para que o clube de Amsterdã chegasse ao começo da 34ª rodada na liderança do Campeonato Holandês, apesar da incrível arrancada de 13 vitórias seguidas que antecedeu a partida final. O Twente treinado por Steve McLaren foi mais eficiente e tinha um ponto a mais naquela altura.

A última rodada foi menos emocionante do que em 2006/07, mas manteve a torcida do Twente em suspense durante muito tempo. Bryan Ruiz abriu o placar ainda no primeiro tempo contra o NAC Breda, mas o segundo gol, para confirmar os três pontos, saiu apenas aos 29 da segunda etapa. Enquanto isso, o Ajax atropelava o NEC, abrindo 3 a 0 apenas nos 45 minutos iniciais antes de vencer por 4 a 1.

2010/11

No ano seguinte, a revanche. O Twente mais uma vez chegou à última rodada com um ponto de vantagem em relação ao segundo colocado Ajax. Mas, desta vez, o final da história seria diferente, até porque o duelo derradeiro das duas equipes no Campeonato Holandês seria justamente um confronto direto entre elas.

Em Amsterdã, Siem de Joong abriu o placar, aos 23 minutos, e Denny Landzaat, contra, fez 2 a 0, no comecinho do segundo tempo. Theo Janssen respondeu para o Twente, logo na sequência, e os visitantes tentaram buscar o empate que seria o bastante para eles. No entanto, De Jong voltou às redes, aos 33 da segunda etapa, e o Ajax selou o título em uma verdadeira final dos pontos corridos.

2015/16

Ajax e PSV arrancaram na metade final do campeonato e chegaram à última rodada empatados com 82 pontos, com vantagem para o primeiro no saldo de gols: 60 a 54. Logo, dentro de um cenário real em que a goleada por 8 a 0 está descartada, a equipe de Eindhoven precisava de um tropeço do rival para ser campeão. E foi exatamente isso o que aconteceu.

O Ajax de Frank de Boer abriu o placar contra o De Graafschap com Amin Younes, aos 16 minutos do primeiro tempo, e estava conquistando o título. A vitória parcial do PSV por 2 a 0 sobre o Zwolle era irrelevante. No entanto, ficou muito relevante quando Bryan Smeets empatou para o De Graafschap, aos 10 da segunda etapa. O PSV confirmou o triunfo, por 3 a 1, o Ajax não conseguiu sair do 1 a 1, e o troféu foi para Eindhoven.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo