Holanda

Rodada final da Eredivisie premia a regularidade do PSV em detrimento à bagunça do Ajax

Os Godenzonen viveram uma tarde tensa com direito a briga após derrota para o Twente

Que o Feyenoord já havia levantado a salva de prata da Eredivisie, você já sabia. Mas ainda havia bons motivos para acompanhar a rodada final do Holandês, neste domingo (28). O PSV venceu o AZ por 2 a 1 e carimbou uma vaga para a Liga dos Campeões. Enquanto isso, o Ajax visitou o Twente, se deu mal e ficou de fora da competição europeia, voltando à Liga Europa.

Os campeões se deram ao luxo de perder para o Vitesse, no De Kuip, por 1 a 0. Mas esse passou longe de ser o assunto do dia no país. Como os jogos rolaram no mesmo horário, as atenções foram voltadas para a briga pela vaga direta na Champions, alcançada pelo PSV com alguma tranquilidade.

Xavi Simons fez dois gols na vitória dos Boeren diante do AZ, em Alkmaar. O jovem craque terminou a temporada como o artilheiro, somando 19 tentos, empatado com Anastasios Douvikas, do Utrecht. Com a dobradinha de Simons, o PSV chegou aos 75 pontos, abrindo seis para o Ajax. Foi uma ótima resposta ao problema interno gerado pela saída de Ruud Van Nistelrooy, durante a semana. O treinador, que aparentava ter prestígio com o elenco, decidiu sair por não considerar que tinha apoio suficiente para prosseguir com o trabalho. Vale lembrar que o PSV venceu a Copa da Holanda há algumas semanas contra o Ajax. Os Godenzonen, por outro lado, são um assunto à parte.

Caos do Ajax termina com briga entre Berghuis e torcedor

Era muito difícil que o Ajax conseguisse reverter a distância para o PSV na tabela, mas tudo que o time de John Heitinga poderia fazer era tentar. Viu-se, ao fim do dia, que não teria adiantado vencer o Twente. Em campo, uma equipe tensa acabou engolida pelos erros cometidos ao longo da campanha. A começar pelo trabalho ruim de Alfred Schreuder, demitido em janeiro por conta de um recorde sem precedentes  de sete jogos sem vencer na Eredivisie. Heitinga, interino que veio de trabalhos com a base, não foi capaz de mudar a maré na Liga dos Campeões e nem na competição local, dominada por um ótimo Feyenoord.

O placar de 3 a 2 para o Twente foi só um sintoma da pressão que ronda o Ajax. A aposta em jogadores muito jovens e a falta de reposição às saídas de Daley Blind, Noussair Mazraoui, Ryan Gravenberch e Sebastien Haller pesou. Sem força e todo remendado, o time de Amsterdã pagou o preço de sua modéstia excessiva.

Após a partida, o clima pesou. Na saída da delegação do estádio De Grolsch Veste, um torcedor do Twente proferiu ofensas racistas ao atacante Brian Brobbey. Como reação, Steven Berghuis decidiu acertar um soco no torcedor. O momento foi registrado em vídeo. Horas depois, o Ajax informou que irá investigar o incidente antes de tomar qualquer providência.

Lá embaixo, a Eredivisie também conheceu seus rebaixados. O lanterna Groningen já tinha ido, bem como o Cambuur. Restou ao Emmen lutar em um torneio de play-off para tentar sua sobrevivência. Além do clube da primeira divisão, sobraram o NAC Breda (adversário do Emmen), VVV Venlo e Almere City. Evidentemente, só um deles disputará a elite na próxima temporada, juntamente com Heracles Almelo e Zwolle, os dois primeiros colocados da Eerste Divisie.

Foto de Felipe Portes

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes
Botão Voltar ao topo