Holanda

O RKC Waalwijk usará uma camisa especial na rodada do Holandês para ajudar crianças gravemente doentes

Através do dinheiro arrecadado com as camisas, o RKC pretende bancar as férias dessas crianças num parque adaptado

O RKC Waalwijk usará uma camiseta bastante especial na próxima rodada do Campeonato Holandês, contra o Groningen. Os auriazuis resolveram apoiar a Villa Pardoes, entidade que oferece a crianças com doenças graves uma experiência única ao lado da família, com um parque adaptado para brincadeiras e práticas esportivas. O objetivo do clube é bancar o máximo de diárias para que os pequeninos passem bons momentos no local. Para isso, os jogadores vão usar camisas desenhadas por uma das crianças. Os uniformes serão leiloados e o dinheiro arrecadado será revertido para a iniciativa. Outras doações poderão ser feitas através do site da equipe.

O RKC Waalwijk realizou um concurso para escolher a camisa especial, entre crianças que passaram pela Villa Pardoes. O desenho selecionado foi feito por Lianne Koskamp, uma menina de 10 anos que possui uma doença congênita no coração. Segundo o clube, Lianne queria expressar “a alegria, o amor e a magia que sentiu durante sua estadia de férias na Villa Pardoes”. Além disso, cada camisa levará nas costas o nome de uma criança que passou recentemente pela Villa Pardoes – e os depoimentos de suas famílias sobre as experiências estarão no site dos auriazuis.

O RKC Waalwijk ainda salientou: “A estadia dessas crianças na Villa Pardoes com toda a família é algo que eles nunca esquecerão e dará força e energia quando pensarem no passado”. Ao longo das últimas duas décadas, mais de 600 famílias já passaram férias na Villa Pardoes. Independentemente do design, a ideia por trás da camisa é sensacional. Melhor ainda diante da certeza de que muitas crianças que sofrem com suas doenças poderão ganhar esse alento.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo