Holanda

Num jogo de oito gols, o PSV cresceu e bateu o Ajax em Amsterdã para conquistar a Supercopa

Guus Til e Cody Gakpo comandaram a reação do Ajax, numa emocionante vitória por 5x3 na Johan Cruyff Arena

A Eredivisie promete uma temporada aberta. Jogadores importantes deixaram o campeonato, novos reforços chegaram e os dois principais concorrentes ao título perderam seus técnicos. A Supercopa da Holanda / Países Baixos, então, serviu para que Ajax e PSV medissem forças nesse período de reformulação. Melhor aos Boeren, agora treinados por Ruud van Nistelrooy. Numa partida cheia de gols, o clube de Eindhoven derrotou os Ajacieden por 5 a 3 em Amsterdã. Guus Til, que na temporada passada fez sucesso pelo Feyenoord, teve ótimo entendimento com Cody Gakpo e comandou o triunfo com três gols.

O Ajax reunia na equipe titular Owen Wijndal e Steven Bergwijn entre os reforços recentes, com Antony e Dusan Tadic estrelando o ataque. O trabalho de reconstrução de Alfred Schreuder, ainda assim, parece mais profundo que o conduzido por Ruud van Nistelrooy no PSV. Os Boeren preservam destaques como Ibrahim Sangaré e Cody Gakpo. Já a equipe titular trouxe Walter Benítez, Ki-Jana Hoever, Guus Til e o já capitão Luuk de Jong, todos contratados nesta janela.

O Ajax tinha o controle da partida durante os primeiros minutos e saiu em vantagem aos 15. Foi o cartão de visitas de Bergwijn, com um golaço: fintou dois e deu um tapa direto no ângulo. Os Godenzonen permaneceram superiores na meia hora inicial, até que o cenário começasse a mudar. O PSV se encontrou em campo e contou com um ótimo entendimento entre Gakpo e Til. O ponta cruzou para a cabeçada do meia aos 32, rendendo o empate. E a dobradinha se repetiu aos 47, em nova assistência de Gakpo para a testada de Til.

O Ajax voltou ao páreo no início do segundo tempo, especialmente depois que um cartão vermelho a Wijndal foi revogado pelo VAR. O empate se deu aos nove minutos, num passe açucarado de Wijndal para a conclusão de Antony no contrapé de Benítez. No entanto, o PSV reagiu rápido e se aproveitou da fragilidade do goleiro Jay Gorter. O jovem rebateu para frente um chute de Jordan Teze aos 20 e facilitou para o terceiro, de Gakpo. Já aos 24, o arqueiro deu azar, num chute desviado de Til que o encobriu, embora pudesse fazer melhor.

A Supercopa ainda pareceu aberta quando o Ajax descontou aos 27, num chute cirúrgico de Mohammed Kudus da entrada da área. Porém, o recém-contratado Calvin Bassey, que tinha saído do banco, foi expulso com o vermelho direto após um carrinho duro em Ismail Saibari e esfriou a reação dos Ajacieden. O PSV pôde manter a vantagem e, depois de uma bola na trave de Joey Veerman, encerrou a contagem nos acréscimos. Xavi Simmons tabelou com Veerman e driblou Gorter com facilidade, antes de chutar para as redes vazias.

O PSV é o maior campeão da Supercopa. A equipe soma 13 títulos, contra nove do Ajax. Fica uma ponta de ânimo no clube para tentar reverter a situação no topo da tabela e encerrar a hegemonia recente dos Ajacieden. Tende a ser uma competição aberta, ainda mais com o bom trabalho de Arne Slot no Feyenoord, que terá continuidade mesmo com muitas perdas significativas no elenco.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo