Holanda

Grande promessa na base, Xavi Simmons deixa Paris para ter mais espaço no PSV

Famoso desde a base do Barcelona, Simmons optou por não renovar com o PSG e deve ganhar mais minutos no PSV

O PSV fisgou nessa terça-feira uma das maiores promessas das categorias de base da Europa: o meia Xavi Simmons, de 19 anos. Badalado desde os tempos em que atuava nos infantis do Barcelona, o holandês passou as últimas temporadas no Paris Saint-Germain. Porém, em fim de contrato com os parisienses, o jovem optou por buscar novos ares. Certamente ganhará mais minutos em campo em Eindhoven, tornando-se um dos principais negócios para o novo ciclo dos Boeren sob as ordens de Ruud van Nistelrooy, o novo treinador da equipe. Seu novo contrato foi assinado até 2027.

Xavi Simmons foi levado para a base do Barcelona em 2010, quando tinha sete anos de idade. O meia passou a chamar atenção com os blaugranas e era considerado um dos maiores talentos do clube. No entanto, mudou-se para o PSG em 2019 e seguiu sua progressão no clube francês. Era esperado que o holandês fizesse sua transição como profissional no Parc des Princes, mas as chances foram raras, mesmo que continuasse brilhando entre as equipes de base.

Com aparições nas últimas duas temporadas, Simmons disputou 11 partidas na equipe principal do PSG. Não teria grande impacto, com no máximo uma assistência pela equipe. Conseguiu ter mais sequência no time sub-19, especialmente na Uefa Youth League, a principal competição de base entre os clubes europeus. Jogando como meia ou atacante, o holandês marcou quatro gols e deu seis assistências em sete partidas. Porém, estava suspenso no duelo que culminou na eliminação dos parisienses, diante do Red Bull Salzburg.

Xavi Simmons muitas vezes aparecia como um pupilo das estrelas do PSG. Entretanto, as mudanças no comando do clube para a próxima temporada parecem influenciar sua decisão em buscar novos rumos. No PSV, fica menos à mercê do jogo político e pode apresentar melhor o seu talento. Num elenco essencialmente jovem, deve ganhar mais oportunidades para despontar. Será a grande prova para o seu futuro, na tentativa de se firmar como um atleta ponta. Aos 19 anos, está no momento de ter sequência como profissional.

Xavi Simmons também possui um histórico respeitável pelas seleções de base. O meia frequenta as convocações desde o sub-15. São 19 partidas com as equipes menores da Holanda, com sete gols marcados. Entre as características mais fortes de seu estilo estão o ótimo passe e a capacidade nos dribles para limpar a marcação na faixa central. Por muitas vezes foi visto “com o DNA de La Masía” e, depois, como um potencial astro de Paris. Agora, tentará justificar sua fama na Holanda, num ambiente mais modesto ao que estava acostumado.

Simmons vai ocupar a lacuna deixada por Mario Götze, vendido para o Eintracht Frankfurt. Terá boas companhias, caso o PSV preserve seu elenco. Cody Gakpo, Noni Madueke, Ibrahim Sangaré e Mauro Júnior estão entre os jovens protagonistas da equipe. Além disso, o novo reforço poderá pegar algumas dicas com Van Nistelrooy, que vinha dirigindo a base e assume o time principal dos Boeren após a saída de Roger Schmidt rumo ao Benfica. O treinador tende a trabalhar com a personalidade do garoto, acostumado à badalação desde cedo, mas que precisa manter os pés no chão nessa transição.

O PSV se mexeu bastante no mercado de transferências até o momento. O clube trouxe também o goleiro Walter Benítez ao final de seu contrato com o Nice, enquanto Ki-Jana Hoever é uma aposta para a lateral direita, emprestado pelo Wolverhampton. Por outro lado, as perdas incluem Götze, Eran Zahavi, Bruma e Maximiliano Romero. As atenções agora se voltam a talentos com destaque no mercado, em especial Gakpo e Sangaré, que atraem interesse de clubes de outras ligas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo